Rússia nega responsabilidade em ataque contra escola que matou 22 crianças na Síria

O Unicef denunciou na quarta-feira a morte das crianças e dos professores sem afirmar quem executou os ataques

Gustavo Krause foi prestigiar a homenagem a Roberto MagalhãesGustavo Krause foi prestigiar a homenagem a Roberto Magalhães - Foto: Divulgação

A Rússia não tem relação com os ataques aéreos que provocaram, segundo o Unicef, a morte de 22 crianças e seis professores na província síria de Idleb, afirmou nesta quinta-feira a porta-voz do ministério russo das Relações Exteriores, Maria Zakharova.

Alguns meios de comunicação árabes e ocidentais "acusaram após a tragédia a Rússia, a aviação russa, as Forças Armadas sírias, afirmando diretamente que era um bombardeio realizado pela Rússia e a Síria", denunciou Zakharova.

"É uma mentira. A Rússia não tem nada a ver com esta terrível tragédia", completou a porta-voz do ministério.

"A Rússia exige o máximo de atenção sobre esta tragédia e a abertura de uma investigação imediatamente", disse.

O Unicef denunciou na quarta-feira a morte de 22 crianças e seis professores na província de Idleb, vítimas de ataques aéreos, sem afirmar quem executou os ataques.

Veja também

Nova fase de testes para vacina chinesa contra Covid-19 começa em 20 de julho
Coronavírus

Nova fase de testes para vacina chinesa contra coronavírus começa em 20 de julho

Em anúncio de campanha, Trump promete proteger Cristo Redentor
Campanha

Em anúncio de campanha, Trump promete proteger Cristo Redentor