A-A+

Sacolas de compras que não poluem os oceanos serão vendidas no Japão

Material foi desenvolvido por empresa e universidade japonesas

Sacolas plásticas, embalagens de alimentos e outros restos chegam a Taimur Nagar através de um cano de águas residuaisSacolas plásticas, embalagens de alimentos e outros restos chegam a Taimur Nagar através de um cano de águas residuais - Foto: Dominique Faget / APF

Uma empresa com sede no oeste do Japão desenvolveu sacolas de compras que não poluem os oceanos.

A Fukusuke Kogyo, da província de Ehime, juntamente com pesquisadores da Universidade de Gunma, desenvolveram sacolas feitas de resinas de cana-de-açúcar e milho.

Leia também:
China: novo coronavírus provocou 9 mortes e 440 estão infectados
China quer acabar com uso de plástico descartável até 2025

Se as sacolas chegarem ao oceano, bactérias marinhas podem decompor mais de 90% de seu material em 180 dias.

China

No início desta semana, o governo chinês anunciou nova medida para combater a poluição. O país quer que as maiores cidades fiquem sem sacos de plástico descartável até o fim deste ano.

Os sacos de plástico vão ser proibidos nas principais cidades chinesas até o fim de 2020 e, até 2022, a medida vai se estender a todas as cidades e vilas.

A China é o maior fabricante de plástico do mundo, produzindo cerca de 29% dos produtos de plástico.

A Indonésia também implementou medida em que proíbe o uso de sacos plásticos descartáveis em lojas, supermercados e mercados tradicionais até junho de 2020.

Veja também

Repórter deixa ESPN após se recusar a tomar vacina da Covid-19
Vacina

Repórter deixa ESPN após se recusar a tomar vacina da Covid-19

Trabalhadores de Hollywood levantam ameaça de greve
Cinema

Trabalhadores de Hollywood levantam ameaça de greve