Secretário de Estado dos EUA lamenta liberação de petroleiro do Irã

Na terça-feira, Mike Pompeo deve comparecer à reunião do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas e o Oriente Médio

Secretário de Estado dos EUA, Mike PompeoSecretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, afirmou ser lamentável que Gibraltar, um território ultramarino do Reino Unido, tenha liberado o petroleiro do Irã que encontrava-se detido, apesar do pedido de Washington para que isso não ocorresse.

No mês passado, autoridades de Gibraltar apreenderam a embarcação sob suspeita de transportar petróleo para a Síria, em violação a sanções da União Europeia. Elas liberaram o petroleiro na última quinta-feira.

Pompeo declarou ao canal de TV Fox News, na segunda-feira (19), que caso Teerã tenha sucesso em obter lucro com o transporte de petróleo pela embarcação, a Guarda Revolucionária Islâmica do Irã, que tem disseminado o terror e matado americanos ao redor do mundo, teria mais recursos para dar continuidade à sua campanha terrorista.


Leia também:
Estados Unidos testam míssil após deixar tratado nuclear
Países que apoiam Guaidó apostam nas sanções dos Estados Unidos



Um apresentador da Fox News lembrou que a liberação pode fazer com que o mesmo ocorra com um navio-tanque de bandeira britânica apreendido pelo lado iraniano.

Contudo, o secretário de Estado americano reiterou a postura de linha-dura de Washington contra Teerã, afirmando que a fraqueza nunca é o resultado certo.

Na terça-feira, Mike Pompeo deve comparecer à reunião do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas e o Oriente Médio. Espera-se que ele levante a questão, além de tentar obter o apoio para uma missão proposta pelos Estados Unidos visando garantir a segurança de navegação no Estreito de Ormuz.

Saiba mais

Veja também

Destino do TikTok nos EUA será decidido neste domingo
Apps

Destino do TikTok nos EUA será decidido neste domingo

Trump indica Amy Coney Barrett para Suprema Corte
internacional

Trump indica Amy Coney Barrett para Suprema Corte