Sírio suspeito de radicalismo é detido na Alemanha por 'crime de guerra'

O suspeito será apresentado à Justiça nesta quarta-feira (7), que decidirá sobre sua detenção, acrescenta a fonte

Um sírio de 31 anos foi detido na Alemanha - informou o Ministério Público nesta terça-feira (7), acrescentando que ele é suspeito de pertencer ao grupo Estado Islâmico (EI) e de estuprar uma refugiada também síria, delito qualificado como "crime de guerra".

Identificado como Akram A., o indivíduo foi preso no estado regional de Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, no nordeste da Alemanha, relatou o Ministério Público federal em um comunicado.

Akram A. é suspeito de ter sido membro do EI na Síria, onde estava ligado a um posto de controle encarregado da vigilância de uma fronteira do território conquistado pelo grupo, de acordo com o MP.

Ele também é suspeito de ter violentado, no início de 2016, uma síria que tentava fugir do Estado Islâmico com seus filhos. A prática constitui "crime de guerra" já que a vítima, que fugia de uma zona dominada pelo grupo, encontrava-se "protegida pelo Direito Internacional Humanitário", indica a jurisdição com base em Karlsruhe, no sudoeste do país.

O suspeito será apresentado à Justiça nesta quarta-feira (7), que decidirá sobre sua detenção, acrescenta a fonte.

Veja também

Nomeado de Biden a secretário de Estado apoia política de Trump na Venezuela
Política norte-americana

Nomeado de Biden a secretário de Estado apoia política de Trump na Venezuela

França exclui pedir desculpas por crimes coloniais na Argélia
Diplomacia

França exclui pedir desculpas por crimes coloniais na Argélia