Sobe para 18 o número de mortos em protestos no Chile

As manifestações, em Santiago e em outros pontos do país, já duram seis dias, mesmo depois de o presidente Sebastián Piñera ter anunciado medidas para conter o caos

Protestos no ChileProtestos no Chile - Foto: Claudio Reyes/AFP

Subiu para 18 o número de mortos em decorrência dos protestos contra o governo do Chile. De acordo com o balanço divulgado pelo subsecretário do Interior, Rodrigo Ubilla, um menino e um homem morreram após um motorista ter atropelado um grupo de manifestantes. A terceira vítima teria sido agredida por policiais, segundo os familiares.

As manifestações, em Santiago e em outros pontos do país, já duram seis dias, mesmo depois de o presidente Sebastián Piñera ter anunciado medidas para conter o caos.

Nesta quarta-feira (23), sindicatos e movimentos sociais convocaram uma greve geral para dar sequência aos protestos. Com isso, milhares de pessoas foram á Praça Itália, em Santiago, para uma manifestação. Tanto na capital quanto em Valparaíso, o encontro teve contornos violentos.

O governo vem sofrendo ataques também pela forma como está enfrentando os protestos. A população critica a decisão de Piñera de deixar o Chile em um "estado de emergência" e ainda condena os toques de recolher e o chamado ao Exército para controlar as manifestações.

O governo decretou toque de recolher desde o fim da tarde desta quarta até a manhã desta quinta-feira (24).

O estopim para a crise foi o aumento do preço das passagens de metrô -o índice de 3,75% foi posteriormente revogado. Antes disso, porém, a população já demonstrava insatisfação com a condição de vida no país, com problemas nas áreas de saúde, de educação e com defasagem nos valores de aposentadoria.

Na tentativa de conter os ânimos da população, Piñera pediu desculpa pelos problemas que culminaram com as manifestações e prometeu medidas de benefícios sociais. Entre elas estão a criação de uma renda mínima a todos os trabalhadores com jornada completa e uma forma de estabilizar o valor das contas de energia elétrica.

Veja também

Bolívia propõe perdão da dívida externa diante da crise
Coronavírus

Bolívia propõe perdão da dívida externa diante da crise

Hackers atacam cadeia de distribuição de vacinas contra Covid-19
Ameaça

Covid: hackers atacam cadeia de distribuição de vacinas