Spotify oferece emprego a Obama

Serviço afirmou que tem vaga aberta de "Presidente das Listas de Reprodução"

 Curso Eleições Municipais 2020 - Novas Regras impactou 3,5 mil pessoas Curso Eleições Municipais 2020 - Novas Regras impactou 3,5 mil pessoas - Foto: Elepe/Cortesia

Se o presidente Barack Obama ainda não sabe o que vai fazer depois que deixar a Casa Branca na semana que vem, já tem garantida uma oferta de trabalho no Spotify.

O líder mundial do serviço de streaming anunciou, nesta segunda-feira (9), que tem uma vaga aberta de "Presidente das Listas de Reprodução" e disse que busca um candidato com "pelo menos oito anos de experiência, governando uma nação com alta autoestima".

E, para acabar com qualquer dúvida sobre quem a empresa tem em mente, o Spotify esclareceu que procura alguém com "bom espírito de equipe, ética de trabalho excelente, uma atitude amistosa e acolhedora e que seja um prêmio Nobel da Paz".

A companhia disse que o "Presidente das Listas de Reprodução ficará encarregado de preparar listas de música para ocasiões que vão de "fazer arremessos (de basquete) com os amigos" a preparar um discurso "sobre legislação de saúde pública que leva seu nome (Obamacare)".

O presidente da empresa sueca, Daniel Ek, anunciou a oferta de emprego, depois de Obama ter mencionado a possibilidade de uma vaga no Spotify, contou Natalia Brzezinski, mulher do ex-embaixador americano na Suécia Mark Brzezinski.

Em seu Instagram, a esposa do ex-embaixador escreveu que Obama lhe disse, em uma recepção na Casa Branca na semana passada, que sua visita de 2013 a Estocolmo foi sua "viagem favorita".

"'Ainda estou esperando meu emprego no Spotify... Porque sei que todos vocês gostaram da minha lista de reprodução'", disse Obama, segundo Natalia Brzezinski.

Durante dois verões consecutivos, Obama divulgou listas do Spotify para ouvir nas férias, revelando seu gosto pelo soul clássico e pelo jazz.

Veja também

Trump sairá de Washington horas antes da posse de Biden na quarta-feira (20)
Estados Unidos

Trump sairá de Washington horas antes da posse de Biden na quarta-feira (20)

WhatsApp adia alteração de normas de serviço após fuga de usuários
Privacidade

WhatsApp adia alteração de normas de serviço após fuga de usuários