Suspeitos presos por morte do meio-irmão de Kim Jong-un

Na última quarta-feira, a Malásia havia anunciado a prisão de uma primeira suspeita, que portava passaporte vietnamita

 

As autoridades da Malásia anunciaram na última quinta-feira (16) a prisão de duas novas pessoas suspeitas de conexão com o assassinato do meio-irmão do ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un. Segundo a polícia, uma das pessoas presas é uma mulher com passaporte da Indonésia -a Embaixada da Indonésia em Kuala Lumpur a reconheceu como cidadã do país. Mais tarde, foi preso um homem de cidadania malasiana, que seria namorado da suspeita indonésia.
Na última quarta-feira, a Malásia havia anunciado a prisão de uma primeira suspeita, que portava passaporte vietnamita. O Vietnã não confirmou se a suspeita é cidadã do país, mas disse estar cooperando com as autoridades da Malásia para esclarecer a situação. Kim Jong-nam, meio-irmão de Kim Jong-un, foi assassinado por envenenamento na última segunda-feira no aeroporto de Kuala Lumpur.

A embaixada da Coreia do Norte em Kuala Lumpur reconheceu a identidade de Kim Jong-nam e solicitou que seu corpo fosse transferido para o país assim que as autoridades malasianas concluíssem os trabalhos forenses. Kim Jong-nam, 46, era conhecido por suas posições críticas ao regime da Coreia do Norte e disse em uma ocasião que se opunha às transferências dinásticas de seu país.

 

Veja também

Pedro Castillo toma posse como presidente do Peru
América Latina

Pedro Castillo toma posse como presidente do Peru

Esperança de encontrar sobreviventes de explosão na Alemanha é cada vez menor
Acidente

Esperança de encontrar sobreviventes de explosão na Alemanha é cada vez menor