Terremoto nas Filipinas deixa pelo menos um morto e 43 feridos

Um tremor de magnitude 6,6 na escala Richter atingiu a ilha de Mindanao, no sul das Filipinas

Terremoto nas Filipinas Terremoto nas Filipinas  - Foto: Manman Dejeto / AFP

Pelo menos uma pessoa morreu e 43 ficaram feridas após um tremor de magnitude 6,6 na escala Richter que atingiu nesta terça-feira (29) a ilha de Mindanao, no sul das Filipinas, anunciaram as autoridades locais.

Um homem de 66 anos morreu em Korondal, na província de Cotabato do Sul, devido a um traumatismo craniano, indicou o Gabinete de Defesa Civil, que confirmou ainda 30 feridos em Kidapawan e 13 em M`lang, em Cotobato do Norte.

Leia também:
Naufrágios deixam 11 mortos e três desaparecidos nas Filipinas
Jornalista da Rádio Folha FM é homenageado como Amigo da Defesa Civil

Não são ainda conhecidos os danos causados às moradias e sistemas de infraestrutura, mas as autoridades avisaram que prevêem "danos significativos" e eventuais réplicas.

O epicentro do sismo, de "intensidade destrutiva", foi localizado perto de Tulunan (Cotabato do Norte), na mesma região onde, há duas semanas, um tremor de magnitude 6,4 deixou pelo menos sete mortos e 200 feridos, de acordo com o Instituto Filipino de Vulcanologia e Sismologia.

A agência filipina localizou o sismo a cerca de 60 quilômetros (km) de Davao, a maior cidade de Mindanao e a terceira maior das Filipinas, onde o tremor foi sentido com intensidade "muito forte".

O epicentro foi registrado a uma profundidade de 7 km, embora o USGS, o Instituto Geológico dos Estados Unidos, que registra a atividade sísmica em todo o mundo, o tenha colocado a 15,3 km.

As Filipinas ficam localizadas sobre o chamado Anel de Fogo do Pacífico, área de grande atividade sísmica e vulcânica. Na região, são registrados anualmente cerca de 7 mil tremores, a maioria moderados.

Veja também

Chilenos pausam protestos e vão às urnas em massa em plebiscito histórico
Plebiscito

Chilenos pausam protestos e vão às urnas em massa em plebiscito histórico

Piñera vota em plebiscito no Chile sobre mudança na Constituição
Chile

País sai às urnas neste domingo (25) para decidir sobre a elaboração de uma nova Constituição