Trabalhistas preferem novas eleições a outro referendo sobre o Brexit

Líderes da sigla concordaram em pressionar por eleições antecipadas, caso o Parlamento rejeite o acordo final sobre o Brexit entre a União Europeia e o governo de May

Manifestantes contrários ao Brexit realizaram passeata em LiverpoolManifestantes contrários ao Brexit realizaram passeata em Liverpool - Foto: Paul Ellis/ AFP

O Partido Trabalhista britânico relegou nesta segunda-feira (24) a possibilidade de um novo referendo sobre o Brexit ao posto de segunda opção e deu preferência a eleições antecipadas, se o Parlamento rejeitar o resultado das negociações com a UE.

Os delegados do partido opositor e líderes sindicais negociaram por cinco horas durante sua conferência anual, em Liverpool, até concluírem o texto de uma moção sobre o assunto a ser submetido à votação dos militantes na terça-feira.

Os líderes da sigla concordaram em pressionar por eleições antecipadas, caso o Parlamento rejeite o acordo final sobre o Brexit entre a União Europeia e o governo de Theresa May - informou um porta-voz do partido.

Leia também:
Reino Unido cresce menos com 'brexit', diz FMI
Prefeito de Londres pede novo plebiscito sobre o 'brexit'
Campanha a favor do 'brexit' é multada por excesso de gastos


"Também foi acordado que, se não houver eleições gerais, o Partido Trabalhista apoiará todas as opções que permanecerem na mesa, incluindo fazer campanha por um novo referendo", disse a mesma fonte à AFP.

Essa nova consulta popular se concentraria apenas no conteúdo do eventual acordo, e não na possibilidade de permanência na União Europeia. Anularia, assim, o resultado do plebiscito de junho de 2016, quando 52% dos eleitores decidiram pela saída do bloco.

Este segundo referendo apresentaria aos britânicos a seguinte questão: "você aceita, ou não, o acordo, ou quer retornar à mesa de negociação para chegar a um acordo mais conveniente?", informou nesta segunda-feira à BBC John McDonnell, responsável pelas questões financeiras dentro do partido.

"Trata-se de respeitar o resultado do referendo [de 2016]. Mas, se o acordo entre Londres e Bruxelas não for aceitável para o Parlamento, deveríamos convocar eleições, ou manter a possibilidade de um voto popular", disse ele, insistindo em que "novas eleições constituiriam um verdadeiro voto popular".

Milhares de pessoas marcharam no domingo pelas ruas de Liverpool para solicitar a organização de um segundo referendo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia, marcada para 29 de março de 2019.

O líder do Partido Trabalhista, o ex-sindicalista Jeremy Corbyn, sempre foi mais favorável a eleições antecipadas, que ele espera ganhar, do que a um segundo referendo, mas disse que respeitaria a decisão dos militantes.

Veja também

Policiais do Capitólio prendem homem que tentou passar por barreira
Capitólio

Policiais do Capitólio prendem homem que tentou passar por barreira

EUA realiza última execução do mandato de Trump
EUA

EUA realiza última execução do mandato de Trump