Trump anuncia redução de impostos

A renda mediana das famílias nos EUA é ligeiramente acima de US$ 50 mil/ano

Mnuchin:“a maior reforma tributária dos EUA”Mnuchin:“a maior reforma tributária dos EUA” - Foto: Manoel Ngan/afp

O governo Donald Trump anunciou na última quarta-feira (27) um plano de corte de impostos classificado pelo secretário do Tesouro, Steve Mnuchin, como "a maior reforma tributária" da história dos Estados Unidos. De acordo com o assessor econômico da Casa Branca, Gary Cohn, o plano corta a taxa máxima para as empresas de 39,6% para 35%, incluindo a redução de faixas tribuárias das atuais sete para três: 10%, 25% e 35%.

O plano também dobra a dedução padrão que casais podem pedir em sua declaração de Imposto de Renda para US$ 24 mil, enquanto mantém deduções para doações de caridade e pagamentos de juros de hipoteca.

Isso ocorre ao mesmo tempo em que Washington encara uma dívida pública crescente, com o presidente tentando cumprir suas promessas de levar empregos e prosperidade à classe média. O governo enfatizou que o foco do plano é simplificar o sistema tributário e ajudar os americanos de classe média. A renda mediana das famílias nos EUA é ligeiramente acima de US$ 50 mil/ano.

A proposta, no entanto, também corta deduções usadas pelos americanos mais ricos, como o imposto sobre propriedades e a taxa de 3,8% aplicada sobre investimentos, criada pelo ex-presidente Barack Obama para financiar o Obamacare. Republicanos no Congresso argumentam que cortes nos impostos vão incentivar o crescimento econômico, reduzindo ou mesmo eliminando a queda na receita.

Mas o Comitê Conjunto de Taxação afirmou que um corte grande nos impostos corporativos, mesmo que temporário, vai elevar o deficit orçamentário de longo prazo. O governo de Donald Trump lançou ontem uma ambiciosa reforma fiscal com um grande corte de impostos a empresas e pessoas físicas e que o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, considerou como a maior da história dos Estados Unidos.

O plano se propõe revisar todo o sistema fiscal do país, mas o grande destaque é a redução de 35% para 15% os impostos para as empresas, um corte de 20 pontos percentuais que pode ter efeitos diretos no déficit federal.

Ema entrevista coletiva na Casa Branca, Mnuchin garantiu que o plano não terá efeitos negativos e que, pelo contrário, impulsionará a criação de novos empregos, gerando uma maior arrecadação fiscal.

O novo sistema reduzirá de 7 para somente 3 as faixas de tributação para as pessoas. Um documento da Casa Branca diz que o plano também inclui previsões para uma taxa única para repatriar "trilhões de dólares que são mantidos no exterior". Os detalhes do plano ainda deverão ser negociados com o Congresso, mas Mnuchin adiantou que há conceitos fundamentais que "não são negociáveis".

"O ponto central é que queremos tornar competitivos os impostos às empresas, trazer bilhões de dólares para criar empregos, simplificar as declarações individuais e reduzir a carga tributária”.

Veja também

Terremotos em série geram pânico em região espanhola de Granada
SISMO

Terremotos em série geram pânico em região espanhola de Granada

AstraZeneca nega ter rejeitado reunião com UE sobre vacinas
RESPOSTA

AstraZeneca nega ter rejeitado reunião com UE sobre vacinas