Trump assina lei que impõe novas sanções contra a Rússia

O Congresso, controlado pelos republicanos, aprovou as sanções para punir o governo russ, entre outros pontos, quanto à suposta interferência na eleição presidencial de 2016

Donald Trump Donald Trump  - Foto: Saul Loeb/AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou nesta quarta-feira (2) uma lei que impõe novas sanções econômicas contra a Rússia, informou a Casa Branca.

Dado a demora do presidente em assinar a lei, aprovada na última quinta-feira pelo Congresso americano, especulou-se que Trump poderia estar resistindo a endossar as medidas, que haviam provocado retaliações por parte do presidente russo, Vladimir Putin. No domingo, Putin, anunciou que 755 diplomatas americanos terão de deixar a Rússia até o dia 1º de setembro, reduzindo para 455 o número de representantes dos EUA em território russo.

O Congresso, controlado pelos republicanos, aprovou as sanções para punir o governo russo quanto à suposta interferência na eleição presidencial de 2016, a anexação da Crimeia da Ucrânia e outras violações de normas internacionais.

Leia também:
Trump anuncia projeto para reduzir à metade a imigração legal aos EUA


A lei promulgada pelo presidente americano também sanciona o Irã e a Coreia do Norte por seus programas de desenvolvimento de mísseis e por abusos de direitos humanos, inclusive buscando punir bancos estrangeiros que fazem negócios com a Coreia do Norte.

Após a assinatura -realizada a portas fechadas-o presidente americano fez uma declaração na qual qualificou a lei de sanções como "gravemente imperfeita".

"A lei segue sendo gravemente imperfeita, sobretudo porque limita a capacidade do Poder Executivo de negociar", disse Trump.

A nova legislação afetará uma série de indústrias russas e poderá prejudicar ainda mais a economia do país, já enfraquecida por sanções impostas depois que a Rússia anexou a região Crimeia, em 2014.

Os legisladores também introduziram um mecanismo que os permitiria fazer valer a lei mesmo em caso de veto do presidente republicano, deixando-o sem alternativa.

A lei também confere aos congressistas o direito de intervir caso Trump decida suspender as sanções vigentes contra a Rússia.

Desde que assumiu o poder, Trump tem sido afetado pelas denúncias de cumplicidade de seu comitê de campanha com a Rússia para derrotar a democrata Hillary Clinton.

À frente da Casa Branca, Trump tentou melhorar publicamente as relações com a Rússia, mas o Congresso decidiu, por uma maioria esmagadora, aplicar as sanções contra seu tradicional adversário.

Veja também

Fabricantes devem cumprir compromissos na entrega de vacinas, diz Comissão Europeia
Vacina pelo mundo

Fabricantes devem cumprir compromissos na entrega de vacinas, diz Comissão Europeia

Nova Zelândia: fronteiras ficarão fechadas durante grande parte do ano
MEDIDA

Nova Zelândia: fronteiras ficarão fechadas durante grande parte do ano