Mundo

Trump assina memorando de saída dos EUA do Acordo Transpacífico

TPP havia sido assinado por 12 países que representam quase 40% da economia mundial

Governo Trump opta por sair do TPPGoverno Trump opta por sair do TPP - Foto: Saul Loeb/AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou nesta segunda-feira (23) a ordem executiva para tirar os Estados Unidos do Acordo Transpacífico de Cooperação Econômica (TPP), assinado por seu antecessor, Barack Obama, para formar a maior área de livre-comércio do mundo.

Esse tratado, concebido como um contrapeso à influência crescente da China, foi assinado em 2015 por 12 países da região Ásia-Pacífico, mas não entrou em vigor.

Na campanha eleitoral, Trump o classificou de "terrível" para os trabalhadores americanos.

"Temos falado muito disso durante muito tempo", disse Trump enquanto assinava a ordem executiva no Salão Oval da Casa Branca.

"O que acabamos de fazer é uma grande coisa para os trabalhadores americanos", acrescentou.

O TPP foi assinado por 12 países que representam quase 40% da economia mundial: Austrália, Brunei, Canadá, Chile, Estados Unidos, Japão, Malásia, México, Nova Zelanda, Peru, Cingapura e Vietnã.

A administração Obama considerava o TPP como o melhor tratado possível porque inclui não só a eliminação de barreiras comerciais, como também de normas sobre legislação trabalhista, ambiente, propriedade intelectual e compras estatais.

Várias organizações não governamentais o questionam por alegar que há normas pouco transparentes para os trabalhadores e o meio ambiente. Argumentam ainda que viola normas soberanas de países-membros e limita o acesso a medicamentos.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, árduo defensor do tratado, admitiu no final de 2016 que sem os Estados Unidos o TPP "não teria sentido".

Veja também

Rússia exibe míssil de cruzeiro hipersônico Zircon em teste no mar
Guerra

Rússia exibe míssil de cruzeiro hipersônico Zircon em teste no mar

Deslizamento deixa três mortos e quatros desaparecidos na Guatemala
chuvas

Deslizamento deixa três mortos e quatros desaparecidos na Guatemala