Trump assina orçamento e exalta verbas militares dos EUA

Trump lembrou, no entanto, que o pacto orçamentário contém concessões aos democratas, dada a estreitíssima maioria republicana no Senado

Presidente dos EUA Donald TrumpPresidente dos EUA Donald Trump - Foto: Mandel Ngan / AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou nesta sexta-feira (9) a lei orçamentária aprovada nesta madrugada pelo Congresso, pondo fim ao segundo fechamento administrativo sofrido por seu governo em apenas um mês. A informação é da Agência EFE.

"Já assinei a lei. Nossos militares serão agora mais fortes do que nunca. Nós amamos e precisamos de nossos militares e damos a eles tudo - e mais. A primeira vez que isso aconteceu tem muito tempo. Também significa EMPREGOS, EMPREGOS, EMPREGOS!", disse o presidente em sua conta no Twitter.

Leia também:
Trump se sente inocentado após publicação de memorando que questiona FBI


Trump lembrou, no entanto, que o pacto orçamentário contém concessões aos democratas, dada a estreitíssima maioria republicana no Senado, onde ele conta com 51 cadeiras, contra 49 do partido opositor.

"Sem mais republicanos no Congresso, fomos obrigados a aumentar os gastos com coisas que não gostamos ou que não queremos para poder, finalmente, depois de muitos anos de esgotamento, cuidar dos nossos militares", escreveu o presidente americano em outro tweet.

"Infelizmente, precisávamos alguns votos democratas para a sua aprovação. Devemos eleger mais republicanos nas eleições de 2018!", tuitou Trump, em alusão às eleições legislativas de novembro deste ano.

Verbas para defesa
O acordo orçamentário contempla um aumento da despesa em Defesa para os próximos dois anos de US$ 165 bilhões, e um número um pouco menor em despesas não relacionadas com o Pentágono, uma exigência dos democratas para investir em despesa social e programas de ajuda, como a assistência a desastres e a crise de opioides.

No entanto, os republicanos conseguiram tirar do debate de financiamento as demandas migratórias dos democratas, como o Programa de Ação Diferida para os Chegados na Infância (Daca, na sigla em inglês) – que regularizaria os imigrantes que chegaram aos EUA quando eram menores de idade. Estas questões devem ser abordadas nos próximos dias no Congresso, de forma independente.

Veja também

Chile supera meio milhão de casos de Covid-19 na véspera do plebiscito constitucional
América Latina

Chile supera meio milhão de casos de Covid-19 na véspera do plebiscito constitucional

Papa nomeia italiano novo patriarca latino de Jerusalém
Vaticano

Papa nomeia italiano novo patriarca latino de Jerusalém