Trump assinará em breve as novas sanções contra a Rússia

As novas sanções econômicas foram votadas de foram quase unânime pelas duas câmaras do Congresso dos Estados Unidos na semana passada

Donald TrumpDonald Trump - Foto: IAN LANGSDON / POOL / AFP

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, afirmou nesta terça-feira que Donald Trump deve aprovar "em breve" as novas sanções contra a Rússia, assunto que tem provocado grande tensão entre os dois países há uma semana. "O presidente Trump assinará em breve o texto sobre as sanções", declarou Pence em uma visita a Tbilisi, capital da Geórgia, país que aspira aderir à Otan e à União Europeia.

Leia também:
Em nova reviravolta, Trump demite diretor de comunicação, diz jornal
Novo chefe de gabinete de Trump toma posse nesta segunda
Trump ameaça cortar benefícios do Obamacare se sua lei não for aprovada

As novas sanções econômicas foram votadas de foram quase unânime pelas duas câmaras do Congresso dos Estados Unidos na semana passada. A Rússia respondeu impondo uma redução drástica do pessoal que trabalha em missões diplomáticas americanas em seu território.

Pence também denunciou a "ocupação" de parte do território georgiano pela Rússia, depois de uma guerra que opôs os dois vizinhos no verão de 2008. O vice-presidente reiterou o apoio dos Estados Unidos a esta ex-república soviética, que chamou de "parceiro estratégico" na região.

Uma breve guerra entre a Geórgia e a Rússia em agosto de 2008 terminou com o reconhecimento por Moscou da independência de duas repúblicas separatistas, a Ossétia do Sul e Abecásia.

Depois de sua visita à Geórgia, Pence viaja para Montenegro, que aderiu à Otan em 5 de junho, última etapa de sua turnê que começou nos países bálticos.

Veja também

Por margem apertada, Senado dos EUA mantém processo de impeachment de Trump
EUA

Por margem apertada, Senado dos EUA mantém processo de impeachment de Trump

Mundo ultrapassa a marca de 100 milhões de casos por Covid-19
Coronavírus

Mundo ultrapassa a marca de 100 milhões de casos por Covid-19