Trump chega a Nova York para reunião da Assembleia Geral da ONU

Trump será o anfitrião do evento Apelo Global em Proteção à Liberdade Religiosa

TrumpTrump - Foto: Alan Santos/Presidência da República

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, chegou a Nova York para participar da reunião da Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) e para realizar conversações bilaterais com diversos líderes mundiais.

Trump será o anfitrião do evento Apelo Global em Proteção à Liberdade Religiosa, a ser realizado na segunda-feira na ONU.

Leia também:
Bolsonaro diz que vai jantar com Trump durante viagem aos EUA
Com projeto para filtrar água, brasileira é 1ª a ganhar prêmio da ONU
Bolsonaro chega aos EUA com agenda limitada e pode passar só 30 horas em NY

Na terça-feira (24), o presidente norte-americano irá proferir um discurso na ONU. Este será o terceiro discurso feito na organização por Trump desde que se tornou presidente. Existe uma expectativa de que ele faça menção ao Irã e possivelmente também à Coreia do Norte.

O seu discurso será feito em meio à crescente tensão entre os Estados Unidos e o Irã, depois dos ataques a instalações petrolíferas da Arábia Saudita.

Acredita-se que Trump deva usar o seu discurso e as negociações bilaterais para promover a perspectiva norte-americana, além de exortar os líderes mundiais a aumentarem a pressão sobre o Irã.

Trump planeja se reunir com mais de 10 líderes, incluindo o premiê japonês Shinzo Abe, o premiê britânico Boris Johnson e o presidente sul-coreano Moon Jae-in.

No domingo (22), Trump declarou que "não existe nada que esteja absolutamente fora de cogitação, mas eu não tenho nenhuma intenção de realizar uma negociação com o Irã".

Trump também deve discutir questões comerciais com o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe.

Veja também

Entre arrependidos, jovens e latinos, Biden pode conquistar o Arizona
EUA

Entre arrependidos, jovens e latinos, Biden pode conquistar o Arizona

Rússia espera registro da Sputnik V no Brasil em dezembro e produção em janeiro
Covid-19

Rússia espera registro da Sputnik V no Brasil em dezembro e produção em janeiro