Trump convida Putin para visita à Casa Branca

O convite foi feito durante uma ligação telefônica entre os dois mandatários, no dia 20 de março -quando Trump parabenizou o russo pela vitória nas eleições, contrariando a recomendação de assessores em função das suspeitas de fraude e do engessado sistem

Presidente dos EUA, Donald TrumpPresidente dos EUA, Donald Trump - Foto: Mandel Ngan / AFP

Em um conturbado momento das relações entre a Rússia e o ocidente, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, convidou o presidente russo, Vladimir Putin, para uma visita à Casa Branca, segundo informou um assessor do Kremlin nesta segunda (2).

O convite foi feito durante uma ligação telefônica entre os dois mandatários, no dia 20 de março -quando Trump parabenizou o russo pela vitória nas eleições, contrariando a recomendação de assessores em função das suspeitas de fraude e do engessado sistema político do país. 

O governo dos EUA confirmou que os dois líderes falaram, na ocasião, sobre a possibilidade de um encontro bilateral "num futuro não muito distante", mas que vários lugares foram cogitados para a realização do evento, incluindo a Casa Branca. 

"Eu espero que os americanos não voltem atrás em sua própria proposta de discutir a possibilidade de sediar um encontro", afirmou Yury Ushakov, assessor do Kremlin, nesta segunda. "Foi Trump quem propôs sediar o evento em Washington, na Casa Branca." Ainda não há data ou local definidos para o encontro.

Leia também:
China contra-ataca Trump e anuncia tarifas sobre 128 produtos americanos
Donald Trump afirma que Amazon paga poucos impostos

Contexto

O anúncio desta segunda ocorre em meio a uma crise diplomática entre a Rússia e o ocidente, entre acusações de interferências em eleições estrangeiras e de envolvimento do governo russo em uma tentativa de homicídio.

O Kremlin é suspeito de ter sido o mandante do envenenamento de um ex-espião russo e de sua filha no Reino Unido. Os dois foram vítimas de uma arma química produzida na Rússia, segundo o governo britânico, e criada pelos soviéticos nos anos 1970. 

Governos de 23 países, incluindo os EUA, anunciaram a expulsão de diplomatas russos, em retaliação ao crime. Em resposta, a Rússia anunciou quatro dias depois a expulsão de 60 diplomatas americanos, e fechou o Consulado dos EUA em São Petersburgo.

O governo de Putin nega e atribui as acusações a uma campanha anti-Rússia. Investigado pelo suposto envolvimento de sua campanha à Presidência com os russos, Trump tem demonstrado simpatia por Putin, mas ao mesmo tempo anunciou sanções contra o país pela interferência nas eleições presidenciais e criticou enfaticamente, inclusive na Estratégia de Segurança Nacional de sua gestão, a ameaça da Rússia à soberania econômica dos EUA.

Veja também

Brasileira está entre as vítimas de atentado na França, informa Itamaraty
internacional

Brasileira está entre as vítimas de atentado na França

Glenn Greenwald acusa Intercept de censura e anuncia saída do site
censura

Glenn Greenwald acusa Intercept de censura e anuncia saída do site