Mundo

Trump critica judiciário dos EUA

Presidente dos Estados Unidos atacou o juiz James Robart, que negou recurso para retomar bloqueio a imigrantes

Donald Trump afirmou, em rede social, que país ficou aberto para terroristasDonald Trump afirmou, em rede social, que país ficou aberto para terroristas - Foto: Manoel ngan/afp

 

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump subiu o tom das críticas contra um juiz federal que reverteu sua ordem de bloqueio de imigrantes de sete nações muçulmanas, e afirmou que essas cortes estão dificultando a segurança das fronteiras do país.

Em uma série de tuítes nos quais ataca o judiciário norte-americano, Trump afirmou que os americanos devem culpar o juiz James Robart e o sistema do país caso algo aconteça. O presidente não especificou quais ameaças o país enfrenta.
No primeiro tuíte, Trump afirma que “o juiz abriu nosso país para terroristas em potencial e pessoas que não tem nossos melhores interesses em mente. As pessoas más estão muito felizes!”.
Em seguida, presidente afirma que “não acredita que o juiz poria o país em tamanho perigo. Se algo acontecer, culpem a ele e ao sistema judiciário. As pessoas estão chegando aos montes. Ruim!”
O presidente chamou Robart de “suposto juiz” no último sábado, um dia depois que o jurista, de Seattle, emitiu uma ordem que removia o banimento de 90 dias de cidadãos do Irã, Iraque, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iêmen, além da proibição na entrada de refugiados por 120 dias.
Com a suspensão do decreto, os cidadãos dos sete países de maioria muçulmana (Iêmen, Irã, Iraque, Líbia, Síria, Somália e Sudão) que estavam impedidos de entrar nos EUA por 90 dias passaram a ser aceitos pelas companhias aéreas no embarque de voos para solo americano.
Isso provocou uma corrida aos aeroportos da Europa e do Oriente Médio para entrar antes do fim do recurso. Os vistos voltaram a ser aceitos por companhias aéreas como Emirates, Etihad, Turkish Airlines, Iberia, Air France e Lufthansa.

Mais polêmica
Donald Trump, comparou os Estados Unidos ao regime autoritário do presidente russo Vladimir Putin em entrevista à Fox News e disse que seu país “tem muitos assassinos”. A conversa, exibida na TV ontem, teve um trecho antecipado.

O entrevistador Bill O’Reilly perguntou a Trump se ele respeita Putin. O líder americano disse que sim, mas que respeitar não significa que ambos terão uma relação amigável.
“Eu diria que é melhor se dar bem com a Rússia do que não [se dar bem]. E se Rússia nos ajuda a lutar contra o Estado Islâmico, que é uma grande luta, e contra o terrorismo ao redor do mundo, é uma coisa boa”, disse Trump. O apresentador pressionou Trump, lembrando que Putin é conhecido por ter tido vários de seus inimigos assassinados. “Há muitos assassinos. Nós temos muitos assassinos. O que você acha? Nosso país é tão inocente?”, respondeu Trump.

 

Veja também

Vallourec anuncia 3.000 demissões no mundo e transferência de atividades ao Brasil
indústria

Vallourec anuncia 3.000 demissões no mundo e transferência de atividades ao Brasil

Opas registra 33 casos de misteriosa hepatite infantil nas Américas
Hepatite misteriosa

Opas registra 33 casos de misteriosa hepatite infantil nas Américas