Trump defende fim do anonimato de fontes jornalísticas

Presidente norte-americano, no entanto, diz ser a favor da liberdade de expressão

O presidente americano, Donald TrumpO presidente americano, Donald Trump - Foto: Nicholas Kamm/AFP

Em discurso nesta sexta-feira (24) na convenção da União de Conservadores dos Estados Unidos, o presidente Donald Trump voltou a atacar a mídia e defendeu o fim do anonimato de fontes jornalísticas.

"Eu sou contra as pessoas que inventam histórias e inventam fontes. Eles não deveriam usá-las a não ser que usem o nome de alguém", declarou o republicano. "Vocês verão as notícias desaparecerem como nunca antes."

O presidente também disse ser um defensor da liberdade de expressão, afirmando que, se a mídia tem liberdade para escrever histórias contra ele, ele tem o direito de criticar duramente as "pessoas desonestas" que inventam "notícias falsas".

"Eu não sou contra a imprensa (...) Sou apenas contra a mídia ou imprensa de notícias falsas," afirmou Trump, diante de uma plateia entusiasmada que repetidas vezes interrompeu o presidente aos gritos de "USA! USA!". Um opositor foi hostilizado pelo público e retirado da convenção por seguranças.

O republicano voltou a celebrar sua vitória nas eleições de novembro, dizendo ser algo "como nunca se viu antes". Ele disse ter angariado o apoio de vários eleitores de Bernie Sanders, socialista derrotado por Hillary Clinton nas primárias do Partido Democrata. "O fato é: eu gosto do Bernie Sanders", declarou o presidente, acrescentando que o democrata "tinha razão" ao criticar o livre comércio.

Veja também

França registra cinco novos casos de trombose sem morte entre vacinados com AstraZeneca
Coronavírus

França registra cinco novos casos de trombose sem morte entre vacinados com AstraZeneca

Regulador europeu afirma que benefícios da vacina AstraZeneca aumentam com a idade
Vacina contra Covid-19

Regulador europeu afirma que benefícios da vacina AstraZeneca aumentam com a idade