A-A+

Trump e Obama empatam como os homens mais admirados pelos americanos

Esta é a primeira vez que Trump ocupa esta posição e a 12ª vez para Obama

Encontro de Trump e ObamaEncontro de Trump e Obama - Foto: Jim Watson/AFP

o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, enfrenta um processo de impeachment, mas isso não impediu que fosse mencionado, ao lado de seu antecessor, Barack Obama, como o homem mais admirado pelos americanos, segundo uma pesquisa publicada nesta segunda-feira (30).

Trump, o terceiro presidente da história do país a ser submetido a um processo de impeachment, e Obama empataram este ano como os homens que mais admiração despertam em seus compatriotas, segundo o instituto Gallup.

Leia também:
Morre nos Estados Unidos compositora do tema da série 'Friends'
Trump diz que está pronto para lidar com 'surpresa' norte-coreana

Esta é a primeira vez que Trump ocupa esta posição e a 12ª vez para Obama, enquanto sua esposa, Michelle, voltou a ser eleita este ano pela segunda vez consecutiva como a segunda mulher mais admirada no país.

O Gallup pergunta aos americanos desde 1948 quem são o homem e a mulher que mais admiram no mundo. Este ano, os mais mencionados foram Trump e Obama, com 18% menções cada um, enquanto a ex-primeira-dama foi a preferida, com 10%, enquanto em 2018 obteve 15%.

Trump, mais popular agora do que nos últimos dois anos, com um índice de aprovação de 45%, subiu em termos de admiração com relação a 2018 (13%) e 2017 (14%).

O percentual de Obama não mudou muito com relação a 2018 (19%) e 2017 (17%), acrescentou o Gallup, destacando que estas cifras são altas para um ex-presidente.

Completam o grupo dos dez homens mais admirados pelos americanos o ex-presidente Jimmy Carter, o empresário Elon Musk, o filantropo e fundador da Microsoft Bill Gates, o papa Francisco, o senador e pré-candidato presidencial democrata Bernie Sanders, o legislador democrata Adam Schiff, o Dalai Lama e o investidor Warren Buffett. Nenhum dos oito alcançou, no entanto, mais de 2%.

Entre as mulheres mais admiradas estão a atual primeira-dama, Melania Trump (em segundo lugar, com 5%), a estrela de TV Oprah Winfrey, a ex-candidata presidencial e ex-primeira-dama Hillary Clinton e a adolescente e ativista climática Greta Thunberg (cada uma com 3%).

O restante das dez inclui a rainha Elizabeth II, da Inglaterra (que integra o seleto grupo pela 51ª vez), a presidenta da Câmara de Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, a juíza progressista da Suprema Corte americana, Ruth Bader Ginsburg, a senadora e pré-candidata presidencial Elizabeth Warren, a chanceler alemã, Angela Merkel, e a ex-embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley.

A profunda divisão partidária nos Estados Unidos se refletiu também nesta pesquisa: 45% dos republicanos elegeram Trump e 41% dos democratas, Obama. Entre as mulheres a divisão também foi registrada, mas não de forma tão expressiva: Michelle Obama foi eleita por 23% dos democratas, enquanto Melania Trump foi a mais popular entre os republicanos, com 11%.

Veja também

Trabalhadores de Hollywood levantam ameaça de greve
Cinema

Trabalhadores de Hollywood levantam ameaça de greve

Cinzas vulcânicas causam suspensão de voos em ilha espanhola
ILHAS CANÁRIAS

Cinzas vulcânicas causam suspensão de voos em ilha espanhola