Trump quer tornar o Brasil um aliado preferencial fora da Otan

Status de aliado preferencial extra-Otan facilitaria o acesso do Brasil a armamento americano, entre outras vantagens

O presidente dos EUA, Donald Trump, acena ao receber o presidente brasileiro Jair Bolsonaro na Casa Branca em WashingtonO presidente dos EUA, Donald Trump, acena ao receber o presidente brasileiro Jair Bolsonaro na Casa Branca em Washington - Foto: Jim Watsomn/AFP

O presidente americano, Donald Trump, notificou nesta quarta-feira (8) o Congresso sobre sua intenção de designar o Brasil um aliado preferencial fora da Otan, uma ideia que já tinha proposto durante a visita a Washington de Jair Bolsonaro.

"Estou notificando da minha intenção de designar o Brasil um aliado preferencial fora da Otan", declarou Donald Trump em uma carta.

O status de aliado preferencial extra-Otan facilitaria o acesso do Brasil a armamento americano, entre outras vantagens. Somente 17 países estão nesta categoria, inclusive a Argentina, desde 1998.

Leia também:
Aprovação de Trump atinge 46%
Trump diz que atuará para incluir Brasil na OCDE

"Estou efetuando essa designação em reconhecimento aos recentes compromissos do governo do Brasil para aumentar a cooperação em defesa com os Estados Unidos e em reconhecimento de nossos próprios interesses em aprofundar nossa coordenação em defesa com o Brasil", destacou Trump na carta.

A Otan tem 29 países-membros. Nenhum dele é da América Latina ou do Atlântico Sul. Por outro lado, a Colômbia é, desde o ano passado, o único parceiro global da Otan na América Latina.

Em 19 de março, quando Trump mencionou essa ideia em uma entrevista coletiva com o presidente Bolsonaro no jardim da Casa Branca, advertiu que o caminho seria longo. "Tenho que falar com muita gente", justificou Trump na ocasião.

Veja também

Papa Francisco recebe Homem-Aranha no Vaticano
Herói

Papa Francisco recebe Homem-Aranha no Vaticano

Maioria nos países ricos afirma que divisão social aumentou com pandemia
Pesquisa

Maioria nos países ricos afirma que divisão social aumentou com pandemia