Trump questiona credibilidade de acusadoras de nomeado à Suprema Corte

Segundo Donald Trump, a credibilidade da denunciante estaria comprometida pelo fato de que a própria admitiu que estava bêbada na ocasião

Donald TrumpDonald Trump - Foto: Mandel Ngan/AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, questionou o relato de uma das duas mulheres que afirmam terem sido abusadas sexualmente por Brett Kavanaugh, juiz conservador indicado por ele à Suprema Corte. Segundo Trump, a credibilidade da denunciante estaria comprometida pelo fato de que a própria admitiu que estava bêbada na ocasião.

Leia também
Temer é ausência no jantar oferecido por Trump a líderes em Nova York
Denúncia de assédio coloca em risco votação de escolhido de Trump para Suprema Corte


"Ela disse que pode não ter sido ele, que havia lapsos e que ela estava completamente embriagada", disse Trump em conversa com jornalistas após sua participação na abertura da Assembleia-Geral da ONU. Colega de faculdade de Kavanaugh na Universidade de Yale, Deborah Ramirez acusa o juiz de tê-la assediado sexualmente durante uma festa de estudantes no ano letivo de 1983/1984. Segundo Ramirez, Kavanaugh esfregou o pênis no rosto dela e a forçou a tocá-lo, mesmo enquanto ela tentava se desvencilhar dele.

Ela admitiu que estava embriagada e que não se lembra de alguns detalhes da agressão. Essa não é a primeira vez que Trump mostra apoio a Kavanaugh lançando dúvida na denúncia das vítimas. O presidente americano já havia ironizado os comentários da principal acusadora de Kavanaugh, a professora universitária Christine Blasey Ford, que diz ter sido abusada pelo juiz em 1982, quando ambos eram adolescentes.

Na sexta (21), Trump questionou em um tweet porque Christine ou seus "amados pais" não denunciaram o caso à polícia na época em que aconteceu, "já que foi tão ruim assim". Em resposta à mensagem do presidente, mulheres vítimas de violência sexual começaram a postar as razões pelas quais não reportaram suas denúncias á polícia, com a hashtag #whydidntireport (por que eu não denunciei).

Trump também criticou o apoio do Partido Democrata às denunciantes como um "jogo de trapaças" contra a nomeação de Kavanaugh à Suprema Corte. O ingresso do juiz na corte máxima dos Estados Unidos tem sido defendida pelo Partido Republicano, o que ampliaria a participação conservadora na instituição. Líder da maioria no Senado, o republicano Mitch McConnell se mostrou confiante de que a nomeação de Kavanaugh vai adiante, apesar das denúncias.

"Nós vamos seguir em frente. Estou confiante de que ele será confirmado em breve", disse McConnell. Em entrevista à rede de televisão americana Fox News, Brett Kavanaugh disse que não duvidava de que Christine Blasey Ford possa ter sido abusada sexualmente em algum momento de sua vida, mas declarou sua inocência no caso. "O que eu sei é que eu nunca abusei sexualmente de ninguém", disse Kavanaugh na entrevista, sentado ao lado da esposa, Ashley.

Veja também

Imunidade contra a Covid-19 pode ser maior que seis meses, afirma estudo
Coronavírus

Imunidade contra a Covid-19 pode ser maior que seis meses, afirma estudo

FBI indicia filho de brasileiros envolvido no ataque ao Congresso dos EUA
EUA

FBI indicia filho de brasileiros envolvido no ataque ao Congresso