Turquia compartilha informações sobre assassinato de jornalista

Jornais turcos afirmavam que investigadores tinham gravações que provaram que o jornalista foi torturado, assassinado e esquartejado

Jamal Khashoggi, 59 anos, colunista respeitado e colaborar do jornal Washington Post, foi assassinado em 2 de outubro no consulado geral de seu país em IstambulJamal Khashoggi, 59 anos, colunista respeitado e colaborar do jornal Washington Post, foi assassinado em 2 de outubro no consulado geral de seu país em Istambul - Foto: Ozan Kose / AFP

A Turquia compartilhou com a diretora da Agência Central de Inteligência (CIA) americana as informações obtidas no âmbito da investigação do assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi, afirma o jornal turco Sabah.

De acordo com a publicação, ligada ao governo e uma das principais as revelar os "vazamentos" sobre a investigação desde o início do caso, o Serviço de Inteligência Turcos (MIT) "informou Gina Haspel sobre as provas vinculadas" ao assassinato do jornalista. Gina Haspel, que comanda a CIA desde abril, chegou em Istambul na terça-feira.

O jornal afirma que o MIT exibiu à diretora da CIA alguns vídeos e disponibilizou gravações de áudio. Também compartilhou "os elementos obtidos durante a operação de busca no consulado geral e na residência do cônsul da Arábia Saudita em Istambul".

Leia também:
Trump critica Arábia Saudita por "encobrimento" da morte de jornalista
Arábia Saudita confirma morte de jornalista desaparecido na Turquia


Jamal Khashoggi, 59 anos, colunista respeitado e colaborar do jornal Washington Post, foi assassinado em 2 de outubro no consulado geral de seu país em Istambul. Desde o desaparecimento de Kashoggi, os jornais turcos, incluindo o Sabah, afirmavam que os investigadores tinham gravações de vídeo e áudio que provavam que o jornalista foi torturado, assassinado e esquartejado.

Ancara, no entanto, não reconheceu oficialmente a existência do material de áudio e vídeo. O presidente Recep Tayyip Erdogan não mencionou estes elementos em um discurso na terça-feira sobre o caso Khashoggi. De acordo com o jornal Sabah, Gina Haspel, que foi espiã e fala turco, se reuniu com altos funcionários do governo de Ancara.

Veja também

Morre por coronavírus o ministro da Defesa colombiano Carlos Holmes Trujillo
Colombia

Morre por coronavírus o ministro da Defesa colombiano Carlos Holmes Trujillo

Vacinação no Reino Unido não será afetada por medida europeia, diz Londres
GARANTIA

Vacinação no Reino Unido não será afetada por medida europeia, diz Londres