Turquia demite mais 4.500 servidores por tentativa de golpe

Também foram demitidos 330 universitários membros do Conselho de Ensino Superior

Panorama de Istambul, na TurquiaPanorama de Istambul, na Turquia - Foto: Ozan Kose/AFP

As autoridades turcas demitiram mais 4.500 funcionários dentro do expurgo deflagrado pelo governo após a tentativa de golpe de Estado em julho de 2016 - de acordo com um decreto publicado nesta terça-feira (7).

Entre os 4.464 funcionários expulsos, há 2.585 funcionários do Ministério da Educação, 893 da Gendarmeria, dez da Corte de Cassação, outros dez do Alto Conselho Eleitoral e 88 do canal de televisão pública TRT.

Também foram demitidos 330 universitários membros do Conselho de Ensino Superior, entre eles Ibrahim Kaboglu, um dos especialistas em Direito Constitucional mais prestigiosos do país.

As autoridades tomaram essas medidas no âmbito do estado de emergência instaurado depois do golpe de Estado frustrado de 15 de julho. Ancara acusa Fethullah Gülen, um pregador exilado nos Estados Unidos, de ter planejado o golpe. Ele nega as acusações.

Desde então, Ancara prendeu mais de 41.000 pessoas na Turquia, e mais de 100.000 foram demitidas, ou suspensas, entre elas professores, policiais e juízes.

Veja também

Vogue vai publicar nova capa com Kamala Harris após avalanche de críticas
Polêmica

Vogue vai publicar nova capa com Kamala Harris após avalanche de críticas

Joe Biden e Kamala Harris homenageiam 400 mil vítimas da Covid-19 no país
Estados Unidos

Biden e Kamala homenageiam 400 mil vítimas da Covid-19