Mundo

Turquia vai naturalizar parte dos refugiados sírios e iraquianos

"Entre eles há gente muito qualificada - engenheiros, advogados, médicos - e vamos aproveitá-los" esclareceu o presidente

Fernando de NoronhaFernando de Noronha - Foto: Divulgação

O presidente turco, Recep Erdogan, anunciou nesta sexta-feira (06) que parte dos mais de três milhões de sírios e iraquianos refugiados na Turquia serão naturalizados, sem detalhar o número de pessoas beneficiadas com a medida.

"Nosso ministério do Interior está trabalhando nisto (...) e parte deles (refugiados) receberão nossa nacionalidade, após todas as investigações necessárias", declarou Erdogan em discurso na TV.

"Entre eles há gente muito qualificada - engenheiros, advogados, médicos - e vamos aproveitá-los. No lugar de deixá-los trabalhando ilegalmente, vamos lhes dar a oportunidade de trabalhar como cidadãos, como filhos desta Nação".

Erdogan não precisou quando a iniciativa será adotada, mas disse que o "ministério do Interior está preparado para implementar a medida a qualquer momento".

Ao menos três milhões de sírios e iraquianos que fugiram da guerra vivem como refugiados na Turquia, segundo números do governo.

A oposição vê a medida como uma manobra para aumentar a base eleitoral do presidente, no momento em que quer aprovar uma polêmica reforma constitucional para ampliar suas prerrogativas presidenciais.

Veja também

Petróleo continua caindo apesar de retomada da demanda nos EUA
Petróleo

Petróleo continua caindo apesar de retomada da demanda nos EUA

Conservadores britânicos sofrem revés nas eleições locais
Londres

Conservadores britânicos sofrem revés nas eleições locais

Newsletter