Universidade cria jogo sobre 'fake news' para combater a desinformação

Jogadores podem recorrer a um exército de contas falsas nas redes sociais, alterar imagens ou difundir artigos pouco rigorosos para alcançar seus objetivos

Jogo sobre fake newsJogo sobre fake news - Foto: Reprodução

Um jogo lançado nesta terça-feira (20) pela Universidade de Cambridge permite divulgar teorias da conspiração, notícias falsas e propaganda para entrar na pele dos criadores da desinformação e combatê-los de modo mais eficiente. A ferramenta foi criada por pesquisadores da prestigiosa universidade inglesa em colaboração com o grupo de jornalistas holandeses DROG.

Disponível em inglês na página fakenewsgame.org, o jogo convida os usuários a criar um meio de comunicação fictício na internet e divulgar notícias falsas, com o objetivo de atrair uma grande audiência. Os jogadores podem recorrer a um exército de contas falsas nas redes sociais, alterar imagens ou difundir artigos pouco rigorosos para alcançar seus objetivos.

Leia também:
Macron anuncia lei contra 'fake news'
Fake news: uma nova ameaça à democracia


"Se você sabe como é estar na pele de uma pessoa que tenta ativamente te enganar, sua capacidade de perceber e resistir a tais técnicas aumenta", afirmou em um comunicado Sander van del Linden, diretor do Laboratório de Tomada de Decisões da Universidade de Cambridge, que trabalha com a "teoria da da inoculação".

"Nós queremos ajudar a desenvolver 'anticorpos mentais' que possam fornecer alguma imunidade contra a difusão rápida de informações falsas", completou.

Quase 100 adolescentes holandeses de uma escola do ensino médio participaram de um estudo com o jogo e aqueles que compreenderam as técnicas passaram a dar menos credibilidade às 'fake news'.

"Uma vacina biológica administra uma pequena dose da doença para construir imunidade", disse Van Der Linden.

"De modo similar, a teoria da inoculação sugere que a exposição a uma versão fraca ou desmistificada de um argumento torna mais fácil refutar quando você é confrontado com alegações mais persuasivas".

Veja também

Google bloqueia rede de crimes cibernéticos que 'sequestrava' um milhão de dispositivosSegurança nas redes

Google bloqueia rede de crimes cibernéticos que 'sequestrava' um milhão de dispositivos

Chile dá novo passo contra discriminação e aprova casamento homoafetivoMundo

Chile dá novo passo contra discriminação e aprova casamento homoafetivo