[Vídeo] Nasa divulga imagens de satélite do furacão Irma

Agência Espacial Americana mostrou percurso do furacão pelo Golfo do México

Rastro de destruição do Irma na FlóridaRastro de destruição do Irma na Flórida - Foto: Mark Wilson/AFP

O Irma, maior furacão já registrado no Atlântico, deixou um rastro de destruição no Caribe e nos Estados Unidos. O fenômeno chegou a registrar ventos de 297 km/h e a Agência Espacial Americana (Nasa), em uma de suas contas na rede social Twitter, publicou imagens que resumem sua formação e passagem pelo Golfo do México em um período de dez dias.

Até agora o Irma deixou cerca de 3,5 milhões de moradores da Flórida sem eletricidade. No Caribe, os residentes tentam voltar à normalidade apesar dos enormes danos de infraestrutura, enquanto Estados Unidos, França, Holanda e Reino Unido buscavam ajudar seus territórios de ultramar, gravemente afetados.

Leia também:
Saiba como são escolhidos os nomes dos furacões
Irma perde força e população começa a receber ajuda


Nas imagens da Nasa é possível ver o furacão se formando, atravessando o Caribe e chegando à Flórida, em uma trajetória que deixou 38 mortos nas ilhas caribenhas e seis nos EUA. 



Veja também

Oxigênio enviado a Manaus pela Venezuela cruza fronteira com o Brasil
Solidariedade

Oxigênio enviado a Manaus pela Venezuela cruza fronteira com o Brasil

Imunidade contra a Covid-19 pode ser maior que seis meses, afirma estudo
Coronavírus

Imunidade contra a Covid-19 pode ser maior que seis meses, afirma estudo