Mundo

Violentos combates são registrados perto de Raqa, capital do EI na Síria

Desde o início da nova ofensiva, as FDS retomaram 12 povoados ao norte e ao nordeste de Raqa

Violentos combates ocorreram nesta quarta-feira(8) a 20 km da cidade de Raqa, "capital" do EI na SíriaViolentos combates ocorreram nesta quarta-feira(8) a 20 km da cidade de Raqa, "capital" do EI na Síria - Foto: DELIL SOULEIMAN / AFP

Combatentes do grupo Estado Islâmico (EI) e forças antiextremistas protagonizaram nesta quarta-feira (8) violentos combates a 20 km da cidade de Raqa, "capital" do EI na Síria, segundo um correspondente da AFP no terreno.

Desde o anúncio, no último sábado (4), de uma nova fase em sua ofensiva para retomar a cidade, as Forças Democráticas Sírias (FDS) - aliança curdo-árabe apoiada pela coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos - tentam quebrar as defesas do EI no norte e no nordeste de Raqa.

Em Bir Fawwaz, a 20 km dali, o correspondente da AFP pôde ouvir disparos de metralhadoras das FDS contra posições do EI na aldeia vizinha de Maayzila. Combates foram registrados durante todo o dia. Ainda segundo o repórter da AFP, vários bombardeios foram lançados por pelo menos três aviões da coalizão nesta localidade.

"Desde de manhã, estão ocorrendo violentos combates. Muitos combatentes do EI estão entrincheirados no interior de Maayzila", informou à AFP um comandante no terreno, Ararat Kojer.

Desde o início da nova ofensiva, as FDS retomaram 12 povoados ao norte e ao nordeste de Raqa.

"O avanço é lento, porque o EI opõe uma resistência feroz e minou os arredores de várias localidades", informou à AFP o o diretor do Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), Rami Abdel Rahman.

Em 6 de novembro, as FDS lançaram uma ofensiva para retomar o controle de Raqa, principal reduto do EI na Síria com a ajuda da coalizão internacional.

Um porta-voz militar da coalizão, o coronel americano John Dorrian, declarou nesta quarta que, nas próximas semanas, Raqa será "completamente isolada" do restante do país.

Veja também

Cuba segue combatendo um gigantesco incêndio
Cuba

Cuba segue combatendo um gigantesco incêndio

Chile e Bolívia concordam em enfrentar a crise migratória em sua fronteira
América do Sul

Chile e Bolívia concordam em enfrentar a crise migratória em sua fronteira