Voto plural elegeu Trump

Pesquisas de boca de urna divulgadas ontem abordam nova demografia eleitoral

Cordialidade marcou o encontro de Barack Obama e o presidente eleito Donald Trump, no Salão Oval da Casa Branca Cordialidade marcou o encontro de Barack Obama e o presidente eleito Donald Trump, no Salão Oval da Casa Branca  - Foto: Jim watson/AFP

NOVA YORK (AFP) - O mito de que somente os homens brancos sem instrução votariam em Donald Trump se esvaiu após a vitória do magnata nas eleições presidenciais dos Estados Unidos.
Sua vitória retumbante, apesar de a democrata Hillary Clinton ter vencido em número de votos, revela que o eleitorado de Trump é mais diverso do que se havia pensado e inclui também pessoas instruídas, mulheres e minorias. Os protestos ocorridos desde a noite de quarta-feira, em vários estados
Pesquisas de boca de urna do jornal USA Today constatou que a metade dos americanos de classe média, que ganham 100 mil dólares ou mais ao ano, votaram no magnata de 70 anos. Além disso, cerca de 43% dos eleitores com títulos universitários apoiaram o republicano, ainda que os com estudantes de pós-graduação tenham votado em grande parte em Hillary (58%).
Outro resultado considerado importante foi o triunfo de Trump no descontentamento com o status quo sentido nas zonas rurais e pequenas cidades, distantes da prosperidade das grandes cidades que votaram em sua grande maioria por Hillary. “Há todo um mundo nos arredores da costa Leste e da costa da Califórnia sobre o qual ninguém quer pensar”, considerou Sam Abrams, professor de Ciências Políticas no Sarah Lawrence College de Bronxville, em Nova York. “É a divisão entre os que têm e os que não têm”, disse.

As minorias?
A participação de eleitores brancos foi maior do que o esperado. Trump obteve do setor republicano tradicional uma votação superior à conseguida por Mitt Romney, em 2012.

Outros personagens foram os latinos que bateram o recorde de participação. Mas enquanto dois terços optaram por Hillary, 29% apoiaram Trump, mais do que os 27% de Romney em 2012. E isso apesar de seu áspero discurso contra os mexicanos e suas políticas anti-imigração.
O voto latino não é homogêneo, explicam os especialistas. Os cubano-americanos apoiaram o magnata, assim como os mais conservadores. Mesmo que a maioria dos negros tenha apoiado Hillary, a ex-secretária de Estado recebeu uma quantidade de votos menor que a de Barack Oba­ma em 2008 e 2012.
As mulheres
Trump pode ter ofendido constantemente as mulheres e ter sido acusado de conduta sexual inapropriada por 12 mulheres durante a campanha, mas isso não lhe custou o voto feminino. As mulheres tradicionalmente votam pelos democratas e Hillary se impôs com 54% a 42%, segundo o Pew Research Center.
Mas, oito em cada dez brancos evangélicos votaram em Trump, enquanto Hillary conquistou apenas 16% desse segmento. Esses números surpreenderam alguns dos analistas, visto que Trump já se divorciou duas vezes, deu declarações vulgares sobre as mulheres e devido ao seu histórico como um nova-iorquino de costumes liberais que aceita os direitos dos homossexuais e transgêneros.

Veja também

'Digam a meus filhos que amo eles', as últimas palavras da brasileira vítima de ataque em Nice
França

'Digam a meus filhos que amo eles', as últimas palavras da brasileira vítima de ataque em Nice

13ª Semana Global de Empreendedorismo é oportunidade para quem deseja começar seu negócio
Empreendedorismo

13ª Semana Global de Empreendedorismo é oportunidade para quem deseja começar seu negócio