Pernambuco

Município de Goiana planeja retorno das aulas presenciais em setembro

Mês de agosto servirá para ajustes nas salas e preparação dos profissionais

Escola Municipal Santo Antônio de Pádua, em Goiana Escola Municipal Santo Antônio de Pádua, em Goiana  - Foto: Reprodução/Internet

As aulas presenciais da rede municipal de Goiana, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, só vão retornar em setembro próximo.

O anúncio foi feito pelo secretário Fernando Veloso em live realizada nesta quarta-feira (21) pela plataforma da Educação de Goiana, quando divulgou o planejamento da retomada das atividades a partir do próximo mês.

Segundo Veloso, agosto será um período de acolhimento e de formação dos profissionais da Educação para preparação das salas de aulas e treinamento do pessoal de apoio. 

"Queremos uma volta segura. Já providenciamos todos os insumos preconizados pela Organização Mundial da Saúde, como máscaras, álcool em gel e termômetros, e estaremos prontos para receber os alunos de volta", explicou o secretário.

Leia também

• Ministro da Educação defende retorno das aulas presenciais

• Escolas estaduais em Pernambuco e municipais do Recife retomam aulas presenciais nesta quinta (22)

• Matrículas abertas para aulas gratuitas de inglês, espanhol e libras no Cabo de Santo Agostinho


De acordo com o planejamento da secretaria, as aulas presenciais estão programadas somente para setembro, e a expectativa é de que alunos e professores já estejam com tablets e notebooks em mãos. 

"Serão nove mil tablets, 700 notebooks e internet móvel fornecidos pela prefeitura. Goiana está indo para o patamar da modernidade no ensino, para tanto, temos contado com o apoio do prefeito Eduardo Honório e dos quinze vereadores da nossa cidade", disse.

Veja também

Ministros do G7 pedem à Opep que amplie produção de petróleo; analistas já preveem barril a US$ 150
petróleo

Ministros do G7 pedem à Opep que amplie produção de petróleo; analistas já preveem barril a US$ 150

Centenas de pessoas protestam depois de desabamento de um prédio que deixou 26 mortos no Irã
Protestos

Centenas de pessoas protestam depois de desabamento de um prédio que deixou 26 mortos no Irã