Covid-19

Municípios pernambucanos iniciam vacinação de adolescentes em escolas

Cidades fazem busca ativa para a vacinação de adolescentesCidades fazem busca ativa para a vacinação de adolescentes - Foto: Divulgação / Prefeitura de Olinda

Municípios da Região Metropolitana do Recife (RMR) e do Agreste de Pernambuco dão mais um passo na campanha de imunização contra a Covid-19. Nas últimas semanas, ao menos cinco cidades iniciaram, ou vão iniciar, a vacinação de estudantes de 12 a 17 anos dentro das instituições de ensino básico.

Nesta terça-feira (26), a Prefeitura de Olinda começa a ação em escolas da rede municipal com um mutirão que vai das 10h às 16h na Escola Claudino Leal, na Cidade Tabajara. A iniciativa faz parte da programação de retorno das aulas presenciais e se estenderá a todas as unidades com alunos matriculados nesta faixa etária - o calendário completo ainda será divulgado pela prefeitura. 

Na segunda-feira (25), a Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes também iniciou a vacinação de estudantes nas escolas da rede municipal. “Fizemos um levantamento e constatamos que cerca de 50% dos jovens entre os 12 e 17 anos ainda não realizaram o agendamento da vacina”, comentou o prefeito Anderson Ferreira.

“Os adolescentes formam um importante elo na cadeia de transmissão da Covid-19 e precisam ter seu esquema vacinal completo com a maior celeridade possível”, alertou a secretária de Saúde do município, Zelma Pessôa.

Os municípios do Cabo de Santo Agostinho e Camaragibe, na RMR, também iniciaram a vacinação em escolas. No Cabo, a campanha começou na quarta e segue um cronograma itinerante.

Já em Caruaru, no agreste do Estado, a aplicação iniciou no dia 5 deste mês. De acordo com a prefeitura, a ação, até agora, foi realizada em 42 escolas, sendo 37 da rede municipal e cinco da rede privada, e contou com a aplicação de aproximadamente 1.500 doses. 

Para a secretária executiva de Atenção Básica e Vigilância em Saúde do município, Sarah Rafael, um dos principais resultados da ação é o potencial de alcance.

“A gente vacinou muitas escolas da zona rural. Teve escola de difícil acesso, em que os adolescentes muitas vezes têm dificuldades de ir ao centro, em que fizemos mais de 300 doses. Quando a gente vê o impacto que isso tem na vida das crianças, principalmente das que moram muito longe, isso é muito positivo”, destacou.

No Recife, segundo a Secretaria de Saúde municipal, a vacinação nas unidades de ensino está em fase de planejamento, mas ainda sem data de previsão. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), as cidades têm autonomia para efetuar as ações de vacinação. 

Para a infectologista Sylvia Lemos Hinrichsen, a busca ativa para a vacinação dos jovens é eficaz. “Quando você tem situações de pandemia, cabem movimentos passivos, que são aqueles em que as pessoas vão lá e se vacinam, como também cabem, em determinados grupos, em determinadas situações, os movimentos ativos, em que eu [governo] vou lá e ofereço [a vacina em dado local]. Espero que as pessoas realmente aceitem bem esse tipo de iniciativa, que é muito bom”, disse.

Veja também

Ensino à distância estimula inclusão indígena, mas qualidade é desafio
EDUCAÇÃO

Ensino à distância estimula inclusão indígena, mas qualidade é desafio

Solenidade celebra 376 anos do Exército Brasileiro, no CMNE, no Curado, Zona Oeste do Recife
COMEMORAÇÃO

Solenidade celebra 376 anos do Exército Brasileiro, no CMNE, no Curado, Zona Oeste do Recife

Newsletter