Municípios pernambucanos se adequam às orientações do Ministério Público

Em uma ação com o Governo do Estado de Pernambuco, o município de Serra Talhada contará com um hospital de campanha direcionado para os casos de Covid-19

Respiradores mecânicos são fundamentais na luta contra o coronavírusRespiradores mecânicos são fundamentais na luta contra o coronavírus - Foto: Divulgação

Criar medidas para ampliar o isolamento social nas cidades e leitos nas unidades de saúde foram recomendações do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) em caráter emergencial. Os municípios pernambucanos devem entregar o plano de contingenciamento para o MPPE contendo medidas como fluxo de atendimento médico nas unidades de saúde, distribuição de equipamentos de proteção individual (epi), qualificação e contratação de profissionais. Contudo, apenas 30% dos municípios entregaram o plano. De acordo com a Associação dos Municípios de Pernambuco (Amupe), os municípios têm sofrido uma certa resistência e pressão dos donos de estabelecimento que querem abrir seus negócios. Em uma ação com o Governo do Estado de Pernambuco, o município de Serra Talhada contará com um hospital campanha direcionado para os casos de covid-19, para agilizar o atendimento emergencial.

Orientados tanto pelo MPPE quanto pela Amupe no sentido de seguir as orientações do Ministério da Saúde, Recife, Camaragibe, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Serra Talhada, Petrolina, Caruaru e Salgueiro são algumas das cidades que já puseram em prática seus planos de contingenciamento. “Nossa recomendação é a mesma que o Governo do Estado, deixar para sair de casa apenas para o que é essencial. Comprar comida, ir no banco, que é uma coisa muito usada no interior, deve ser uma atividade executada apenas por uma pessoa da família, sempre que possível alguém que seja jovem e poupe os mais velhos da facilidade de contaminação”, explicou José Patriota, presidente da Amupe.

Leia também:
Confira recomendações do MPPE aos órgãos responsáveis pela segurança durante o Carnaval
Fechados por causa do coronavírus, circos itinerantes pedem ajuda
Mortos por coronavírus dobram em uma semana e OMS teme 'rápida escalada'


A capital pernambucana anunciou 163 leitos nas policlínicas para pacientes com a covid-19. Com o número, Recife soma 371 leitos hospitalares voltados para os pacientes do coronavírus. Para lidar com o isolamento social imposto em medidas como a suspensão de aulas e manutenção apenas de serviços essenciais, a Prefeitura do Recife distribuiu kits alimentares para alunos da rede municipal e suas famílias. Para pessoas em situação de rua, 120 leitos foram abertos em um abrigo temporário e os restaurantes populares começaram a distribuir marmitas.

Olinda, Camaragibe e Jaboatão dos Guararapes anunciaram seus planos de contingenciamento contendo restrições para o comércio e manutenção dos serviços essenciais ainda na primeira semana de orientação do MPPE. Em Olinda, a fiscalização do comércio e monitoramento de grupos que se reúnem em locais públicos feita pela Secretaria de Segurança Urbana. “Não estamos enfrentando muitos problemas com pessoas que desobedecem a lei, normalmente a gente tem conversado e as pessoas têm compreendido perfeitamente. Nossa preocupação neste momento é grande com bancos e casas lotéricas, seguimos orientando para que as pessoas evitem a aproximação quando são avistadas aglomerações”, contou Coronel Pereira Neto, secretário da pasta.

Além de seguir a determinação da Lei Federal nº 13.979/2020 e, por consequência, os Decretos Federal nº 10.282/2020 e Estadual nº 48.809/2020, com relação ao isolamento e quarentena, as cidades da região metropolitana tomaram medidas com relação ao aumento dos leitos para acolher casos da covid-19. Olinda anunciou 60 leitos na Maternidade Brites de Albuquerque para atender os casos; Camaragibe anunciou a criação de 03 salas de isolamento tipo UTI no Hospital Aristeu Chaves, disponibilizando parque médico para, se necessário, entubar pacientes suspeitos do Covid 19 em estado grave; já Jaboatão dos Guararapes conta com dez leitos de UTI requisitados administrativamente e outros quarenta sendo pactuados juntamente com 50 leitos de Enfermaria para atendimentos de emergências do novo coronavírus.

No Agreste do Estado, Caruaru tem disponível em sua rede 73 leitos de retaguarda para os pacientes da COVID-19, com 29 leitos para utilização de imediato. A cidade é referência em saúde na sua região, mesmo contando com as Unidades de Pronto Atendimento (Upas) como porta de entrada para o vírus.

Em Serra Talhada, no Sertão pernambucano, as medidas sanitárias de saúde foram tomadas através da vigilância sanitária municipal, que tem desinfetado locais de uso público. O município será casa de um Hospital Campanha, montado pelo Estado para desafogar as unidades de saúde da região.

Petrolina, na divisa com a Bahia, já conta com 20 leitos intermediários instalados na UPAE, referência para a 8ª Regional de Saúde. A cidade terá, inicialmente, 64 leitos intermediários e reativou 8 leitos no Hospital Universitário (HU), que estavam desativados por falta de profissionais. Dado isso, o município também contratou 36 profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e fisioterapeutas. Também no Sertão, Salgueiro está com o plano de contingenciamento sendo seguido desde a metade do mês passado. A cidade estabeleceu restrições para o comércio que são fiscalizadas. Salgueiro conta com o Hospital Regional Inácio de Sá, que seguirá as implementações necessárias pedidas pelo MPPE.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

 

Veja também

Maestro Geraldo Menucci, primeiro regente da Banda Sinfônica do Recife, morre de Covid-19
Luto

Maestro Geraldo Menucci, primeiro regente da Banda Sinfônica do Recife, morre de Covid-19

Ministério Público denuncia homem preso por furto de bicicleta no Leblon
Crime

Ministério Público denuncia homem preso por furto de bicicleta no Leblon