Nações de maracatu se reúnem no Pátio do Terço

Agremiações celebram a tradicional Noite dos Tambores Silenciosos

Noite dos Tambores SilenciososNoite dos Tambores Silenciosos - Foto: Felipe Ribeiro/Folha de Pernambuco

Em plena Rua Vidal de Negreiros, no Polo Afro, localizado no Pátio do Terço, o relógio marcava 20h em ponto quando aconteceu a abertura da 57ª Noite dos Tambores Silenciosos.

Numa grande mistura de ritmos e religiosidade, o Maracatu Leão Coroado, o mais antigo de Recife, foi o primeiro a desfilar.

No total, 32 agremiações, dos mais variados estilos irão passar pelo polo, localizado no Centro do Recife. O momento mais esperado é no fim dos desfiles, quando as luzes são apagadas e os tambores silenciados ficando apenas os cantos que relembram o sofrimentos da época escravagista, quando muitos foram comercializados ou até mesmo mortos no local onde ocorre a festa.

"Venho há cinco anos e virou programação obrigatória. É uma manifestação ímpar da cultura afrodescendente, numa cerimônia intensa e revigorante. Venho carregado dos colares dos meus orixás: Iemanjá e Oxossi", afirma o metroviário Denilson do Carmo, 52 anos, presente ao encontro junto com a esposa.

Veja também

México começa a recrutar voluntários para testar sua vacina anticovid
Vacinas

México começa a recrutar voluntários para testar sua vacina anticovid

Twitter marca postagem de Eduardo Bolsonaro por informação enganosa sobre a Covid-19
Redes Sociais

Twitter marca postagem de Eduardo Bolsonaro por informação enganosa sobre a Covid-19