VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS

"Não podemos desdenhar nem superlativar", diz representante das escolas privadas sobre ameaças

Nas redes, ameaças de ataques a escolas de Pernambuco foram compartilhadas

Sala de aula do Ensino MédioSala de aula do Ensino Médio - Foto: Gabriel Jabur / Agência Brasil

Após uma série de ataques em escolas pelo Brasil, o temor por novos casos espalhou-se pelas redes sociais e pelas escolas de Pernambuco. Em entrevista concedida à Rádio Folha na manhã desta terça-feira (11), o presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de Pernambuco (Sinepe), José Ricardo Diniz, afirmou que as instituições privadas têm tomado providências sobre as ameaças de ataques. 

“Já vínhamos preocupados com a segurança há bastante tempo. As escolas redobraram a segurança, com novas políticas de acesso, entrada e saída. Essas medidas foram tomadas por conta dos acontecimentos recentes aqui no Brasil”, disse José Ricardo Diniz.

De acordo com o representante das escolas privadas, 2.100 instituições de ensino foram orientadas sobre os cuidados em relação à segurança. Diniz chama atenção, ainda, para um trabalho de integração entre os órgãos responsáveis pela segurança pública e as gestões das escolas. “Estamos mantendo um contato com o serviço de inteligência da SDS [Secretaria de Defesa Social de Pernambuco], através da subchefia da Polícia Civil. Desde sexta-feira (7), estamos nesse trabalho, que não é algo fácil, é extremamente complexo”.

“A galera do bem tem que continuar correndo, com inteligência. Não vai adiantar só força policial, força física; o aparato físico policial por si só não resolve. Nesse sentido, a questão da inteligência deve desempenhar um papel fundamental”, completou Diniz.

Escute a entrevista completa: 


 

Sobre ameaças compartilhadas nas redes sociais por supostos agressores, o presidente do Sinepe afirma que tais postagens não podem ser relativadas. “A gente não pode, nem deve, desdenhar, nem superlativar o que tem nas redes sociais. Isso é o que a turma do mal quer. Também não podemos fazer com que nós mesmos disseminemos o pânico.”, afirmou José Ricardo Diniz.

“A sociedade, as famílias, devem estar atentas ao comportamento dos adolescentes. Nós não devemos pensar que estamos invadindo os espaços deles, não se trata disso. É sobre exercer nosso papel de pai, mãe, responsáveis, pela educação deles. A escola também tem um papel fundamental nesse processo e no desenvolvimento da cidadania”, completou.

Nos últimos dias, uma série de ameaças foi compartilhada nas redes sociais; nelas, os supostos alvos seriam escolas da Região Metropolitana do Recife e de outros municípios pernambucanos. Sobre as postagens, a Secretaria de Defesa Social (SDS-PE) afirmou que haverá uma mobilização integrada no monitoramento e combate às ameaças de violência nas escolas.

"As redes sociais estão sendo monitoradas e, com isto, já foram identificados e encaminhados para delegacias competentes suspeitos de praticarem ameaças e atos semelhantes a terrorismo", disse a Secretaria em nota. 

Nesta terça (11), representantes das secretarias de Educação e Esportes e de Defesa Social de Pernambuco se reúnem com os gestores das Gerências Regionais de Educação para discutir o assunto. O encontro deve acontecer por meio de uma videoconferência. 

Veja também

Quatro navios dos EUA encalham perto de cais temporário em Gaza
Gaza

Quatro navios dos EUA encalham perto de cais temporário em Gaza

Governo do Rio Grande do Sul sanciona lei que institui plano de reconstrução do estado
Rio Grande do Sul

Governo do Rio Grande do Sul sanciona lei que institui plano de reconstrução do estado

Newsletter