Guerra na Ucrânia

Negociador ucraniano diz haver "profundas contradições" em diálogos com a Rússia

Mykhailo Podoliy é um dos negociadores e conselheiro do presidente ucraniano Volodymyr Zelensky

O negociador ucraniano Mikhailo Podolyak fala à mídia após conversas entre delegações da Ucrânia e da Rússia na região de Gomel, na Bielorrússia, em 28 de fevereiro de 2022, após a invasão russa da UcrâniaO negociador ucraniano Mikhailo Podolyak fala à mídia após conversas entre delegações da Ucrânia e da Rússia na região de Gomel, na Bielorrússia, em 28 de fevereiro de 2022, após a invasão russa da Ucrânia - Foto: Sergei Kholodilin / Belta / AFP

As conversas para pôr fim à ofensiva militar da Rússia na Ucrânia enfrentam "profundas contradições", mas ainda é possível alcançar um "compromisso", disse, nesta terça-feira (15), Mykhailo Podoliyak, negociador e conselheiro do presidente ucraniano Volodymyr Zelensky.

"Vamos continuar amanhã [quarta-feira]. É um processo de negociação complicado e extremamente trabalhoso. Existem profundas contradições. Mas, certamente, um compromisso é possível", escreveu o negociador ucraniano no Twitter.

A quarta rodada de negociações entre Rússia e Ucrânia começou na segunda-feira, por videoconferência.

Ambas as partes demonstraram algum otimismo recentemente, mas as últimas declarações de Podolak mostram a dificuldade das negociações.

O exército russo conseguiu tomar várias cidades ucranianas nos últimos dias.

A Ucrânia pede um cessar-fogo imediato e a retirada das tropas russas.

Zelensky declarou na terça-feira que era hora de "reconhecer" que a Ucrânia não poderá ingressar na Otan, algo que a Rússia exigia antes de iniciar a invasão em 24 de fevereiro.

Veja também

Corpo do jornalista britânico Dom Phillips é velado em Niterói
Caso Dom e Bruno

Corpo de Dom Phillips é velado em Niterói; viúva do jornalista agradece apoio e solidariedade

Dia Nacional do Diabetes: pacientes buscam qualidade de vida
saúde

Dia Nacional do Diabetes: pacientes buscam qualidade de vida