Ciclomobilidade

No Dia Mundial da Bicicleta, Recife é escolhido um dos líderes da campanha global Cidades Pedaláveis

Capital pernambucana receberá consultoria técnica do ITDP para ampliar sua rede cicloviária e também exportar os seus conhecimentos

Ciclovia Graça Araújo, no RecifeCiclovia Graça Araújo, no Recife - Foto: Andréa Rêgo Barros/Arquivo/PCR

O Recife foi escolhido, nesta quinta-feira (3), uma das líderes da campanha global Cidades Pedaláveis do Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP). O anúncio foi feito em conferência virtual por ocasião do Dia Mundial da Bicicleta.

O evento destacou o potencial da mobilidade por bicicleta e das cidades líderes, como o Recife. A capital pernambucana receberá consultoria técnica do ITDP para ampliar sua rede cicloviária e também exportar os seus conhecimentos para outros municípios parceiros. 

O objetivo da iniciativa é a expansão das rotas cicláveis, para que os cidadãos tenham um equipamento a, no máximo, 300 metros de onde estiver e, assim, aproximar as pessoas de infraestruturas seguras para uso da bicicleta.

Por meio da parceria com o ITDP, a equipe técnica da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) receberá assistência para ampliar ainda mais a malha cicloviária de forma eficiente e que atenda ao máximo à população. 

"Estamos felizes com a escolha e cientes da responsabilidade em avançar ainda mais na estrutura cicloviária e também em influenciar outros municípios a fazer o mesmo porque a sociedade só tem a ganhar quando as gestões investem com seriedade na mobilidade sustentável", destaca a presidente da CTTU, Taciana Ferreira.

Ainda em 2019 a malha cicloviária de Recife foi considerada, em estudo realizado pelo ITDP-Brasil, como a quarta rede mais acessível à população dentre as 20 maiores cidades do País. 

O estudo mostra que mais de 24% da população da cidade consegue acessar uma rede cicloviária a menos de 300 metros de sua residência. Isso é um marco importante da política pública voltada para a mobilidadesustentável e para o incentivo à ciclomobilidade.
 
"A campanha visa a ampliar abordagens locais ambiciosas e inovadoras de mobilidade por bicicleta e promovê-las em nível global", explica a Diretora Executiva do ITDP, Clarisse Cunha, que completa: "pretendemos criar uma comunidade internacional de cidades que possam aprender a se inspirar mutuamente, ao mesmo tempo que fortalecem suas próprias ações e ampliam as infraestruturas de mobilidade por bicicleta".

Ciclomobilidade no Recife
Atualmente, o Recife possui 150 quilômetros de malha cicloviária, entre ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas, o que representa um aumento de mais 500% desde 2013, quando havia 24 quilômetros. 

Desde 2013, as novas rotas implantadas compõem a Rede Cicloviária Complementar, previstas pelo Plano Diretor Cicloviário (PDC), e estão sendo projetadas para que haja uma conexão com as rotas já existentes e com a Rede Cicloviária Metropolitana, que está sendo elaborada pelo Governo do Estado. 

Os projetos priorizam o atendimento aos bairros que abrigam polos de interesse público, como parques, praças, mercados públicos e terminais de ônibus, criando pontos de conectividade entre esses equipamentos.

O Recife tem investido em rotas que se interligam umas às outras para dar cada vez mais possibilidade de caminhos aos ciclistas. Entre o Centro da Cidade e a Zona Norte, já são 63 quilômetros de malha cicloviária interligada. 

Já entre a Zona Sul e a Zona Oeste, são 79 quilômetros interligados. O incentivo ao uso da bicicleta, além de fomentar uma mobilidade mais sustentável, democratiza o uso do espaço urbano entre pessoas com diversos meios de transportes e classes sociais.

Veja também

Brasil reabre fronteira com Venezuela após mais de 1 ano, mas limita entrada
FRONTEIRAS

Brasil reabre fronteira com Venezuela após mais de 1 ano, mas limita entrada

Brasil tem 18,2 milhões de casos acumulados de covid-19
Coronavírus

Brasil tem 18,2 milhões de casos acumulados de covid-19