No rádio, Haddad diz que pré-sal é 'bênção' e Bolsonaro defende redes sociais

Campanha de Bolsonaro apontou o apoio que recebem nas redes sociais, já Haddad falou do pré-sal e o antipetismo

Candidatos à presidência Jair Bolsonaro e Fernando HaddadCandidatos à presidência Jair Bolsonaro e Fernando Haddad - Foto: Arte/Folha de Pernambuco

No programa eleitoral no rádio desta terça-feira (16), a campanha de Fernando Haddad (PT) criticou o adversário Jair Bolsonaro (PSL), a quem acusou de ser entreguista. "Eles estão de olhos na Petrobras, na Embraer e na Amazônia", disse a peça petista.

O programa pediu que eleitores parassem para pensar que votar no Bolsonaro pelo antipetismo pode ser uma armadilha, pois o capitão reformado tem um "pacote completo de maldade".

Haddad disse que o adversário quer vender recursos brasileiros, como as reservas de petróleo pré-sal, que chamou de "bênção de Deus". Ao final, o programa disse que a candidatura do ex-prefeito paulistano representava quem não defende "nem ditadura e nem tortura". "Vamos nos unir acima de partidos e diferenças", disse o candidato.

Leia também:
Bolsonaro tem 59% dos votos válidos e Haddad, 41%, aponta Ibope
Aliados de Bolsonaro já fazem disputa por espaço e indicações de ministros
O que Haddad e Bolsonaro prometem para o Bolsa Família?


Bolsonaro, por sua vez, lembrou das visitas de Haddad ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na carceragem da Polícia Federal em Curitiba. "O PT quer fazer você esquecer o Lula por um tempo, até o vermelho está escondendo. Haddad é o PT e isso o Brasil não quer mais", dizia o locutor, reforçando o antipetismo.

A peça também fez um elogio às mudanças nos meios de comunicação. Disse que a mudança parte das redes sociais, de onde "vêm os apoios mais importantes: os do nosso povo". A campanha de Bolsonaro também defendeu que o eleitor quer mudança e quer votar em um candidato honesto, que dê esperança.

Veja também

Com forte chuva, Florianópolis registra morte de mãe e filha em desabamento de muro
Santa Catarina

Com forte chuva, Florianópolis registra morte de mãe e filha

O mau exemplo do STF na pandemia: aglomeração, omissão de diagnóstico e tentativa de furar fila
Coronavírus

O mau exemplo do STF na pandemia: aglomeração, omissão de diagnóstico e tentativa de furar fila