No Recife, futuro ministro fala sobre banheiro dos astronautas

Marcos Pontes, primeiro astronauta brasileiro, arrancou gargalhadas da plateia ao falar sobre o cotidiano no espaço e a dificuldade dos astronautas para usar o banheiro no espaço

Astronauta Marcos Pontes já esteve no Recife. Desta vez, o ministro recebe, em Brasília, o secretário Aluisio Lessa Astronauta Marcos Pontes já esteve no Recife. Desta vez, o ministro recebe, em Brasília, o secretário Aluisio Lessa  - Foto: Julya Caminha/Folha de Pernambuco

A profissão de astronauta, sonho de muitos jovens, pode ser bastante desconfortável em certas ocasiões. Em palestra para estudantes realizada nesta segunda-feira (29), no Recife, na abertura do Torneio Sesi de Robótica, na Casa da Indústria, o tenente-coronel da reserva Marcos Pontes, primeiro astronauta brasileiro - indicado para ser ministro da Ciência e Tecnologia - arrancou gargalhadas da plateia ao falar sobre o cotidiano no espaço e relatou a dificuldade que os astronautas passam para usar o banheiro quando estão no espaço.

Leia também:
Astronauta Marcos Pontes aponta investimentos em ciência e tecnologia no governo Bolsonaro

Marcos contou que, por conta da gravidade, é preciso se amarrar a um vaso sanitário especial de sucção para evitar que as fezes escapem do vaso. Já para urinar, eles usam uma mangueira com bocal de encaixe personalizado para cada tripulante. Mas o detalhe que chamou a atenção é que a privada tem uma câmara interna instalada dentro do vaso, de baixo para cima do assento, que transmite um ângulo pra lá de inusitado do tripulante no monitor. A ideia é que o astronauta consiga ver e mirar o buraco com mais precisão. E aí, vai encarar a missão?

Marcos Pontes exibiu vídeo sobre banheiro dos astronautas

Marcos Pontes exibiu vídeo sobre banheiro dos astronautas - Foto: Julya Caminha/Folha de Pernambuco

 

Veja também

Governo do Maranhão desiste de suspender pequenos eventos
Coronavírus

Governo do Maranhão desiste de suspender pequenos eventos

ONU pede US$ 100 milhões para migrantes no Mediterrâneo e culpa Itália por naufrágio em 2013
RECURSO

ONU pede US$ 100 milhões para migrantes no Mediterrâneo e culpa Itália por naufrágio em 2013