Nos EUA, chanceler brasileiro reforça soberania da Amazônia

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, viajou na terça-feira (10) para os Estados Unidos e volta neste final de semana ao Brasil.

O encontro com secretário de Estado dos EUA reforçou o fortalecimento das relações diplomáticas e econômicas entre os dois paísesO encontro com secretário de Estado dos EUA reforçou o fortalecimento das relações diplomáticas e econômicas entre os dois países - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, se reuniu nesta sexta-feira (13) com o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, em Washington, onde ambos reforçaram o fortalecimento das relações diplomáticas e econômicas entre os dois países.

Em declaração à imprensa, o chanceler brasileiro reforçou a soberania da Amazônia e a importância do desenvolvimento da região. Já Mike Pompeo, destacou que sob a liderança do presidente Jair Bolsonaro, o país entra em uma nova era de prosperidade e crescimento ecônomico.

"Nós queremos, juntos, criar mecanismos para desenvolver a região amazônica, pois estamos convencidos que essa é a única forma de realmente proteger a floresta", disse Araújo ao citar a criação de empregos e desenvolvimento econômico para a região. 

Leia também:
Mendonça: "Estou na pista de novo para novos embates"
Empreiteiro Léo Pinheiro, que acusou Lula, tem delação homologada no STF

Pompeo, por sua vez, citou as tratativas em curso para a criação de um fundo de US$ 100 milhões para a conservação da biodiversidade da Amazônia: "Neste mês, membros do governo brasileiro e norte-americano vão dar continuidade às negociações que nossos presidentes iniciaram em março, para lançar um fundo de investimentos no valor de US$ 100 milhões para a conservação da biodiversidade da Amazônia.


Venezuela
Mike Pompeu também comentou a crise política e econômica na Venezuela. Ele elogiou o apoio do Brasil ao governo do presidente autoproclamado da Venezuela Juan Guaidó e citou o acolhimento de mais de 180 mil venezuelanos que deixaram seu país. Para o secretário norte-americano, esse acolhimento demonstra o compromisso do governo brasileiro: “Essa generosidade é um testemunho do compromisso do governo brasileiro em manter a segurança e proteger os direitos humanos na região". 

 

Veja também

Explosão de internações e fila de vaga por UTI viram rotina pelo país no auge da pandemia
Pandemia

Explosão de internações e fila de vaga por UTI viram rotina pelo país no auge da pandemia

Brasil barra venezuelanos na fronteira com base em orientação inexistente da Anvisa
Fronteira

Brasil barra venezuelanos na fronteira com base em orientação inexistente da Anvisa