Novas armadilhas para controle do Aedes aegypti
Novas armadilhas para controle do Aedes aegyptiFoto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

A Prefeitura do Recife (PCR) dá largada, nesta quarta-feira (12), ao projeto que instala Estações Disseminadoras de Larvicidas (EDs), armadilhas para combater o Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, chinkungunya e Zika. O trabalho é uma parceria da PCR com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Amazônia e o Ministério da Saúde. O primeiro ponto a receber a nova tecnologia é o bairro de Casa Amarela, na Zona Norte do Recife.

Ao longo deste mês, escolas, casas e unidades de saúde estarão recebendo a visita da Vigilância em Saúde para instalação das armadilhas, que são esquematizadas de forma simples - recipientes plásticos preenchidos com água e cobertos por um tecido embebido em larvicida, que irá atrair o mosquito e prender-se às patas do animal, fazendo com que ele dissemine o composto para outros locais.

Leia também:
Aedes pode transmitir zika, dengue e chikungunya na mesma picada
Sertão pernambucano ganha monitoramento de Aedes por aplicativo  

De acordo com o gerente de vigilância ambiente do Recife, Jurandir Almeida, a proposta é baseada no comportamento biológico do próprio mosquito, que estará sendo usado como uma estratégia de combate. “Ela é uma estação disseminadora, então, o mosquito ao pousar nela, ele mesmo vai levar o larvicida para outros criadores, até os mais difíceis de serem identificados.”

Para a manutenção da técnica, a vigilância conta com a participação da população, que deve ficar atenta ao nível de água do recipiente, acrescentando mais líquido quando for necessário.

Os bairros contemplados foram escolhidos por possuírem um maior índice de infestação do mosquito, como Ipsep, Água Fria e Cajueiro. Para o bairro de Casa Amarela, o primeiro a receber os agentes, o expectativa é que sejam implementamos 140 armadilhas.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: