Troca de tiros ocorreu quando policiais militares frustraram tentativa de assalto
Troca de tiros ocorreu quando policiais militares frustraram tentativa de assaltoFoto: Reprodução/Facebook

Pelo menos 12 pessoas morreram durante um tiroteio na cidade de Milagres, na região do Cariri cearense, na madrugada desta sexta-feira (7). Outras duas pessoas morreram em hospitais próximos ao longo do dia, mas não foi confirmado se são criminosos ou reféns, totalizando em 14 o número de mortos. Segundo a Secretaria estadual de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará, a troca de tiros ocorreu depois que policiais militares frustraram uma tentativa de assalto a duas agências bancárias que funcionam na região central da cidade de cerca de 28 mil habitantes. Seis dos mortos eram suspeitos do crime. Cinco dos reféns mortos pertenciam a uma família de Serra Talhada, Sertão de Pernambuco, e a sexta vítima era de Brejo Santo, no Ceará.

De acordo com o portal G1, por volta das 2h30 da manhã, os criminosos usaram um caminhão para bloquear a BR-116, na altura da ponte sobre o riacho Tamandu, que dá acesso à cidade de Milagres, onde ficam agências do Banco do Brasil e Bradesco. O trecho era passagem das duas famílias, que tinham ido ao aeroporto de Juazeiro do Norte buscar parentes e voltavam para casa. Uma das famílias voltava para Serra Talhada, Pernambuco, e a outra para Brejo Santo, no Ceará.

As oito pessoas foram feitas reféns nesse momento e levadas ao local dos bancos. No entanto, um homem da família de Brejo Santo passou mal e os criminosos liberaram ele e o filho, identificado como Genário, mas mantiveram refém a irmã de Genário, Francisca Edenice, junto com as cinco pessoas da família de Serra Talhada.

O empresário João Batista Magalhães, de 49 anos, tinha saído de Serra Talhada com destino a Juazeiro do Norte com o filho Vinícius Magalhães, de 14 anos, para buscar três parentes que chegaram de São Paulo: a cunhada Claudinei Campos de Souza, 42; o filho dela, Gustavo Tenório dos Santos, 13; e o esposo, Cícero Tenório dos Santos, 60, natural de Alagoas. Todos eles morreram durante troca de tiros entre policiais e suspeitos.

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, afirmou na noite desta sexta que o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, já entrou em contato com os órgãos oficiais do Ceará para solicitar mais informações.

Segundo informações da Rádio Serra FM, os corpos das vítimas chegaram por volta das 23h desta sexta (7) em Serra Talhada. João e seu filho, Vinícius, serão sepultado às 10h deste sábado (8) no Cemitério Municipal de Serra Talhada. As outras vítimas, provavelmente, serão sepultadas em São José do Belmonte, também no Sertão.
 
Anderson Tennens, coordenador da Rádio Cultura de Serra Talhada, contou que João Magalhães era um empresário muito conhecido na cidade e era dono de uma loja de informática no centro. "A família Magalhães é grande, tem um histórico político na cidade. O clima é de comoção entre os familiares dele", disse.

Crime
Alguns corpos já estão sendo periciados no Instituto Médico Legal (IML) de Juazeiro do Norte, a cerca de 60 quilômetros de Milagres, mas, até as 13h, nenhum dos 12 mortos teve sua identidade confirmada. Dois suspeitos de participar da ação já estão detidos. Além disso, policiais que tentam localizar outros participantes da ação criminosa encontraram um homem morto dentro de uma caminhonete abandonada, usando colete à prova de balas.

Leia também:
Em perseguição policial, suspeito de assalto a banco morre
Câmera de mercadinho flagra assalto no Recife; Veja o vídeo
Preso suspeito de assaltos a bancos e a carro-forte no Recife
Empresário de Surubim baleado em assalto está em estado grave no HR


Uma das agências que o bando tentou assaltar, do Banco do Brasil, fica a apenas cinco quarteirões de uma unidade policial. De acordo com a Secretaria de Segurança, equipes especializadas da Polícia Militar (PM) já estavam realizando diligências na região, justamente para tentar identificar e prender assaltantes a bancos que atuam no estado. Daí a ação rápida contra os criminosos.

Em entrevista à imprensa, o secretário de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará, André Costa, informou que policiais encontraram armas, farta munição e explosivos nos veículos apreendidos e no local do confronto. Costa destacou também a importância da integração entre as forças de segurança dos estados do Nordeste.

“Há quadrilhas que atuam em vários estados, principalmente da Região Nordeste. O que aconteceu hoje reforça a necessidade da instalação de um centro regional de inteligência para termos informações em tempo real, fornecidas pelos serviços de inteligência dos nove estados.” De acordo com o secretário, um dos suspeitos detidos teria admitido ter atirado contra os reféns. “É uma informação preliminar que ainda vamos investigar. O momento é de sermos responsáveis, não fazermos prejulgamento e aguardarmos a conclusão das apurações”, acrescentou Costa.

A Polícia Civil pede que quem tiver qualquer informação que a ajude a chegar aos bandidos ou que contribua de alguma forma com as investigações, entre em contato pelos telefones (88) 3531.4841, da Delegacia Regional de Brejo Santo; (85) 3101-1140, 3101-1141, 3101-1142 e 3101-1143, da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF). O sigilo é garantido.

A Secretaria de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco informou, por meio de nota, que entrou em contato com o Estado do Ceará para firmar apoio às investigações do crime. O secretário da pasta, Pedro Eurico, solicitou agilidade no processo de liberação das perícias tanatoscópicas dos corpos, já que cinco das 12 pessoas mortas pertenciam a a mesma família de Pernambuco.

Confira a nota na íntegra:

"O Governo de Pernambuco, por intermédio do secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, realizou contato com a secretária de Justiça e Cidadania do Ceará, Socorro França, para pactuar ações de apoio relacionadas ao fato ocorrido na madrugada desta sexta (07 de dezembro), no município dos Milagres, a 140 quilômetros de Serra Talhada/PE. O fato vitimou 12 pessoas, sendo cinco pertencentes a uma mesma família de Pernambuco.

O secretário solicitou uma maior agilidade na liberação das perícias tanatoscópicas das vítimas pernambucanas. Pelas informações obtidas até o momento, serão solicitados esclarecimentos do fato que deverá ficar sob responsabilidade da Corregedoria Geral de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará. Para o secretário Pedro Eurico “São vítimas que foram chacinadas numa operação aparentemente infeliz”.

No mesmo sentido, a equipe da SJDH atuará no apoio psicológico, assistencial e jurídico aos familiares das vítimas e, neste momento, a equipe do Centro Estadual de Apoio a Vítimas de Violência (Ceav) se desloca para o município"

veja também

comentários

comece o dia bem informado: