Testes na Fiocruz
Testes na FiocruzFoto: Josué Damacena/IOC

Com base em modelos matemáticos de previsão, pesquisadores da Fiocruz e da Fundação Getulio Vargas (FGV) estimaram qual o risco de disseminação da epidemia da Covid-19 no Brasil. A estimativa prevê que além dos centros urbanos das regiões Sul e Sudeste, Recife e Salvador devem enfrentar a situação mais difícil, com grande potencial de acumular casos graves no curto prazo.

Além da conectividade aérea, o estudo levou em conta o percentual de população de risco, acima de 60 e acima de 80 anos, elevado nessas regiões. Microrregiões no interior dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo também devem apresentar surtos em breve, devido à mobilidade pendular com suas capitais.

O relatório Estimativa de risco de espalhamento da Covid-19 no Brasil e o impacto no sistema de saúde e população por microrregião foi produzido pelo Núcleo de Métodos Analíticos para Vigilância em Saúde Pública (Procc/Fiocruz) e pela Escola de Matemática Aplicada (EMAp/FGV).

Leia também:

Primeira paciente diagnosticada com coronavírus em Pernambuco tem cura clínica, anuncia secretário
Ministro da Saúde diz que curva de transmissão do coronavírus só terá queda brusca em setembro
Crise do coronavírus faz planos de saúde cancelarem autorizações para exames e cirurgias

No documento é analisado o risco de epidemias nas microrregiões brasileiras a partir da exportação de casos dos dois maiores centros urbanos do país, Rio de Janeiro e São Paulo. As duas cidades já possuem transmissão sustentada da doença e devem se tornar o principal foco de disseminação a partir de agora.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: