Cemitério Morada da Paz
Cemitério Morada da PazFoto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Mãe e filho vítimas da colisão ocorrida no bairro da Tamarineira na noite desse domingo (26), no Recife, foram sepultados juntos no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, no Grande Recife, por volta das 22h desta segunda (27). Miguelzinho, que faria 4 anos neste mês de dezembro, faleceu no Hospital Santa Joana, na capital pernambucana, onde estava internado em estado grave. A advogada Maria Emília Guimarães, 38 anos, morreu na colisão.

O corpo de Maria Emília foi velado durante a tarde no Morada da Paz, onde foi realizada a Missa de Corpo Presente. O corpo do menino chegou ao local à noite. A colisão provocou já quatro mortes: além de Maria Emília e de Miguelzinho, faleceram a babá das crianças, Roseane de Brito Souza, 35 anos, e o bebê que ela esperava. A gestação, segundo o Instituto Médico Legal (IML), tinha entre 10 e 12 semanas.

Leia também
Babá vítima de colisão na Tamarineira é sepultada em Aliança
Morre menino de 3 anos vítima de acidente na Tamarineira
[Vídeo] Motorista que provocou acidente no Recife responderá por duplo homicídio
[Vídeo] Imagens mostram momento de acidente na Zona Norte do Recife

Amigo da família, o ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil de Pernambuco (OAB-PE) e também vereador do Recife, Jayme Asfora (PMDB), classificou a morte do menino como "gota d´água" numa situação "inconcebível". “A morte [de Miguelzinho] foi a gota d’água. Imagine o pai Miguel saber da noticia de que perdeu a mulher, e agora o filho e de que a filha está em um estado grave. Isso tudo porque uma pessoa bebeu ou, ainda não tenho certeza, ingeriu outras drogas e misturou isso com a direção. Isso é inconcebível”.

Roseane

O corpo da babá "folguista" das crianças, que estava no carro da família, foi sepultado na tarde desta segunda (27), em Aliança, na Zona da Mata pernambucana. O enterro de Roseane mobilizou a cidade. Segundo Eduardo Silva, amigo da vítima, a mãe dela não conseguiu acompanhar o sepultamento. 

Entenda o caso
A combinação de bebida, imprudência e alta velocidade é apontada pela polícia como a causa do acidente que deixou uma criança e duas mulheres mortas, entre elas uma grávida, na noite do último domingo (26), na Zona Norte do Recife. A colisão ocorreu às 19h32 no cruzamento da rua Cônego Barata com o início da Estrada do Arraial, no bairro da Tamarineira.

O Ford Fusion, placa NMN 3336, que era conduzido por João Victor Ribeiro de Oliveira Leal, 25 anos, trafegava em alta velocidade e ultrapassou um sinal vermelho, atingindo um Toyota RAV4, placa DEZ 9493, onde estava uma família. A mãe, Maria Emília Guimarães, de 39; e a babá Roseane Maria de Brito Souza, de 23, que estava grávida, morreram na hora. O filho do casal, Miguel Neto, que faria 4 anos no próximo mês, faleceu no hospital, durante cirurgia para conter uma hemorragia abdominal. Condutor do SUV da família, o pai, Miguel Arruda da Motta Silveira Filho, de 45 anos, e a filha Marcela, de 5, continuam internados no Hospital Santa Joana.

Depois do acidente, o condutor João Victor Ribeiro, que teve apenas ferimentos leves, foi encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Caxangá. Nesta segunda (28), ele passou por audiência de custódia e foi levado para o Centro de Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima. Antes mesmo do começo da audiência, o advogado de João Victor renunciou ao caso e um defensor público assumiu a defesa do estudante.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: