Cotel, em Abreu e Lima
Cotel, em Abreu e LimaFoto: Jedson Nobre/Arquivo Folha

Nas primeiras 24 horas que passou na cadeia, o jovem João Victor Ribeiro de Oliveira Leal, 25 anos, mostrou-se frio e calado, segundo fontes ouvidas pela Folha de Pernambuco. Ele está no setor de disciplina do Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife, para onde foi levado, no início da tarde da última segunda-feira (27), após ter tido a prisão preventiva decretada pela Justiça numa audiência de custódia.

O setor tem celas individuais, ou seja, onde os detentos ficam presos sozinhos. A medida teria sido tomada para evitar o contato de João Victor com o restante da comunidade carcerária, que estaria revoltada com as mortes atribuídas ao jovem. O carro que ele dirigia estava em alta velocidade quando atingiu o automóvel onde estavam três adultos e duas crianças, na noite do domingo (26), no bairro da Tamarineira, na Zona Norte do Recife. O menino Miguel Arruda da Motta Silveira Neto, 3 anos, a mãe dele, Maria Emília Guimarães Silveira, 39, e a babá dele, Roseane de Brito Souza, 35, que estava grávida, morreram no acidente.

Leia também:
Após acidente, advogado Miguel desbloqueou celular e pediu ajuda
Polícia Civil quer teste toxicológico para motorista
Tragédia na Tamarineira: mãe e filho são sepultados juntos no Morada da Paz
Motorista que causou colisão na Tamarineira vai responder por triplo homicídio

Em nota, a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres), responsável pela administração das unidades prisionais de Pernambuco, informou que João Victor, “assim como demais envolvidos em casos de grande repercussão no Estado, está preso em local seguro e com a sua integridade física garantida” no Cotel. Desde que chegou, “vem sendo acompanhado por médicos e psicólogos”. Extraoficialmente, surgiu a informação de que o detento poderia ser transferido para outra unidade prisional. A Seres, contudo, afirmou que notícias sobre isso “não são repassadas por questões de segurança”.

Entenda o caso
A combinação de bebida, imprudência e alta velocidade é apontada pela polícia como a causa do acidente que deixou uma criança e duas mulheres mortas, entre elas uma grávida, na noite do último domingo (26), na Zona Norte do Recife. A colisão ocorreu às 19h32 no cruzamento da rua Cônego Barata com o início da Estrada do Arraial, no bairro da Tamarineira.

O Ford Fusion, placa NMN 3336, que era conduzido por João Victor Ribeiro de Oliveira Leal, 25 anos, trafegava em alta velocidade e ultrapassou um sinal vermelho, atingindo um Toyota RAV4, placa DEZ 9493, onde estava uma família. A mãe, Maria Emília Guimarães, de 39; e a babá Roseane Maria de Brito Souza, de 23, que estava grávida, morreram na hora. O filho do casal, Miguel Neto, que faria 4 anos no próximo mês, faleceu no hospital, durante cirurgia para conter uma hemorragia abdominal. Condutor do SUV da família, o pai, Miguel Arruda da Motta Silveira Filho, de 45 anos, e a filha Marcela, de 5, continuam internados no Hospital Santa Joana.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: