Acidente ocorreu no cruzamento da rua Cônego Barata com a Estrada do Arraial
Acidente ocorreu no cruzamento da rua Cônego Barata com a Estrada do ArraialFoto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

A Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) informou, no início da noite desta terça (28), que foi decretado sigilo das investigações acerca da colisão ocorrida no bairro da Tamarineira, Zona Norte do Recife, no último domingo (26). Em nota, a PCPE explicou que voltará a se pronunciar apenas ao final do inquérito, "que deve ser enviado à Justiça na próxima quarta-feira, dia 6 de dezembro, quando termina o prazo da prisão preventiva decretada em audiência de custódia".

Leia também:
Motorista que causou colisão na Tamarineira teria agredido e ameaçado vizinhos
Motorista que causou colisão na Tamarineira vai responder por triplo homicídio
Polícia Civil quer teste toxicológico para motorista envolvido em acidente na Tamarineira
Orações e homenagens às vítimas de tragédia na Tamarineira
Delegado vai investigar trajeto feito por motorista que causou tragédia da Tamarineira


A assessoria de Imprensa da Civil explicou que a decisão foi tomada pela corporação, para não atrapalhar o andamento das investigações. Disse ainda que o Código de Processo Penal "estabelece que a autoridade policial pode assegurar o sigilo necessário à elucidação dos fatos, quando julgar necessário" e que esta é uma prática corriqueira quando necessária para assegurar o andamento de uma investigação.

Entenda o caso
A combinação de bebida, imprudência e alta velocidade é apontada pela polícia como a causa do acidente que deixou uma criança e duas mulheres mortas, entre elas uma grávida, na noite do último domingo (26), na Zona Norte do Recife. A colisão ocorreu às 19h32 no cruzamento da rua Cônego Barata com o início da Estrada do Arraial, no bairro da Tamarineira.

O Ford Fusion, placa NMN 3336, que era conduzido por João Victor Ribeiro de Oliveira Leal, 25 anos, trafegava em alta velocidade e ultrapassou um sinal vermelho, atingindo um Toyota RAV4, placa DEZ 9493, onde estava uma família. A mãe, Maria Emília Guimarães, de 39; e a babá Roseane Maria de Brito Souza, de 23, que estava grávida, morreram na hora. O filho do casal, Miguel Neto, que faria 4 anos no próximo mês, faleceu no hospital, durante cirurgia para conter uma hemorragia abdominal. Condutor do SUV da família, o pai, Miguel Arruda da Motta Silveira Filho, de 45 anos, e a filha Marcela, de 5, continuam internados no Hospital Santa Joana.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: