Tubarão-tigre
Tubarão-tigreFoto: Reprodução/Wikipedia

O tubarão que atacou o banhista potiguar Pablo Diego Inácio de Melo, de 34 anos, no dia 15 de abril na praia de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, provavelmente é da espécie tigre ("Galeocerdo cuvier"). A conclusão é resultado de perícias e do parecer técnico do Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarão (Cemit), apresentado nesta quarta-feira (9). Segundo o coordenador do Cemit, Leodilson Bastos, o tubarão-tigre e o tubarão cabeça-chata são as espécies envolvidas com a maioria dos incidentes no litoral pernambucano.

O ataque em Piedade foi o 64º incidente com tubarão registado em Pernambuco. Ainda de acordo com o coordenador do Cemit, o animal tinha em torno de 2,5 metros e, geralmente, não se aproxima muito da praia. "Relatos de testemunhas e da própria vítima apontam que o banhista estava com a água um pouco acima do umbigo. Não é normal que essa espécie chegue à parte mais rasa, esse caso foi um pouco diferente dos outros, mas, nos nossos alertas, já consta que é perigoso quando a água está nesse nível", ressaltou.

Leia também:
Banhista atacado por tubarão em Piedade tem mão direita amputada
Tubarão: Cemit busca ideias para conter ataques

O banhista Pablo Diego continua internado no Hospital da Restauração, na área central do Recife. Ele teve uma perna e a mão direita amputadas devido à gravidade dos ferimentos. Segundo a assessoria do HR, o paciente evolui bem e tem feito alguns procedimentos para preparar o corpo para receber próteses. A mão esquerda também foi operada, mas não precisou ser amputada.

Ataques
Segundo o Cemit, esse foi o primeiro incidente no litoral pernambucano após três anos, o maior período sem ocorrências desde que foi dado início ao monitoramento, em 1992.

O primeiro incidente com tubarão em Pernambuco foi registrado em junho de 1992, também na altura da Igreja de Nossa Senhora da Piedade, em Jaboatão dos Guararapes. Desde então, o Estado contabiliza mais 63 ocorrências do tipo, totalizando 64 casos. No continente, o último incidente havia sido registrado em março de 2015, na Praia Del Chifre, em Olinda, também no Grande Recife.

O maior número de incidentes com tubarão foi registrado na praia de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, com 24 casos. A localidade que concentra o maior número de ocorrências é na Igreja de Nossa Senhora de Piedade, somando 11 incidentes.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: