Ex-secretário de Ipojuca, Diego Jatobá (em destaque na foto) estava entre autores do vídeo
Ex-secretário de Ipojuca, Diego Jatobá (em destaque na foto) estava entre autores do vídeoFoto: Reprodução

O suposto caso de assédio envolvendo o ex-secretário de Turismo de Ipojuca Diego Valença Jatobá está ganhando força dentro e fora das redes sociais. O vídeo em que o pernambucano aparece acompanhado de outros brasileiros constrangendo uma estrangeira na Rússia, com frases obscenas se referindo à genitália da mulher, tem recebido milhares de compartilhamentos com o intuito de que o caso chegue às autoridades do país sede da Copa do Mundo. Em repúdio ao episódio machista, várias cartas estão sendo enviadas à embaixada do Brasil na Rússia para que medidas legais possam ser tomadas, e que a vítima em questão possa ter conhecimento do que foi falado e procure a Justiça. Há pedidos, inclusive, de deportação do grupo, segundo informações publicadas pelo jornal O Globo.

Em uma página no Facebook, que seria do ex-secretário municipal e advogado, há algumas publicações pedindo desculpas pelo assédio. “Peço perdão a todos pela imagem que transmiti. Nunca pensei que uma brincadeira seria capaz dessa repercussão toda, estou muito triste pelo o que vem acontecendo, perdão a todos”, diz a publicação. No entanto, mesmo a página sendo apontada como fake, nos mais de 290 comentários, as críticas sobre o que ocorreu foram unânimes. “Isso não é ‘brincadeirinha’, é desrespeito, é falta de integridade. Esse tipo de atitude não ofendeu só a ela, mas a todas as mulheres”, dispara uma internauta. “Brincadeira? Ridicularizar uma mulher em frente a uma câmera? Além de machista, você foi covarde! Deveria ir preso!”, ressalta outra mulher.

Leia também:
Brasileiros fazem vídeo com russa com cenas de machismo e misoginia
Jornalistas japonesas se mobilizam contra assédio sexual  


O assédio está sendo debatido na Comissão da Mulher da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), que se reúne nesta terça (19) para avaliar um voto de protesto do colegiado contra a atitude do advogado. “Definitivamente, Pernambuco e Ipojuca não merecem ganhar notoriedade por esse tipo de conduta repugnante. Apesar de a cultura machista ainda ser uma realidade, temos muitos exemplos de lutas e vitórias contra esse comportamento que diminuiu as mulheres”, comenta a deputada estadual e presidente do colegiado Simone Santana.

O professor de Relações Internacional Luis Emmanuel Cunha, da Faculdade Damas, acredita que dificilmente as autoridades russas possam vir a intervir nesse caso de assédio, mas afirma que, se o vídeo fosse feito em território nacional, os brasileiros poderiam responder criminalmente por violência moral.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PE) emitiu, nessa segunda (18), nota de repúdio ao caso. Diego Jatobá será investigado pelo Tribunal de Ética da Ordem e pode ser punido até com a exclusão do seu registro. “O que esse grupo causou foi um sentimento de vergonha e gera uma preocupação grande, principalmente por estarmos em um momento de união das entidades públicas e privadas na luta pela igualdade e as garantias dos direitos das mulheres”, declarou a presidente da Comissão da Mulher Advogada, Ana Luiza Mousinho.

Outro vídeo com brasileiros supostamente constrangendo russas também circula nas redes sociais. Nesse caso, dois homens aparecem com três mulheres estrangeiras também usando expressões obscenas relativas a ato sexual.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: