Vídeo de brasileiros com russa. Um dos homens (o que está de lenço no pescoço) é o ex-secretário de Turismo Diego Jatobá
Vídeo de brasileiros com russa. Um dos homens (o que está de lenço no pescoço) é o ex-secretário de Turismo Diego JatobáFoto: Reprodução/Internet

Mais dois brasileiros que participaram do vídeo machista e misógino contra uma jovem russa durante a Copa do Mundo foram identificados. Por meio das imagens que viralizaram nas redes sociais, a Polícia Militar de Santa Catarina (SC) confirmou que um dos homens é o tenente Eduardo Nunes, que serve na cidade de Lages e está de férias. O outro é o engenheiro civil piauiense Luciano Gil Mendes Coelho que, segundo o jornal O Globo, já foi secretário de Saúde e de Educação daquele estado e também atuou como engenheiro na Prefeitura de Araripina, em Pernambuco.

O primeiro torcedor identificado no episódio de assédio foi o advogado pernambucano Diego Jatobá, ex-secretário de Turismo de Ipojuca, no Grande Recife, que teve voto de protesto da Comissão da Mulher da Mulher da Assembleia Legislativa de Pernambuco, nessa segunda-feira (19). A Embaixada Brasileira na Rússia informou que recebeu, pela internet, manifestações informais de brasileiros que repudiaram o comportamento do grupo de torcedores, pedindo expulsão da Rússia e punição. Essa ação, no entanto, dependeria de uma queixa formal da vítima, que ainda não foi registrada.

Leia também:
Ministério do Turismo condena assédio de brasileiros a mulher na Rússia
Assédio na Rússia: internautas cobram punição de brasileiros
Brasileiros fazem vídeo com russa com cenas de machismo e misoginia

Também de acordo com a embaixada brasileira em Moscou, não houve contato do governo russo com o Itamaraty sobre esse episódio. A divulgação do caso acendeu o alerta para o assédio generalizado contra mulheres russas neste mundial de futebol. Mais relatos envolvendo situações de assédio contra moças provocadas por outros torcedores da América do Sul começaram a ser reportados. Postagens com teor obsceno também foram atribuídos a argentinos e peruanos.

A PM-SC decidiu instaurar processo administrativo disciplinar contra o tenente Eduardo Nunes. Em nota, a instituição afirma não respaldar o comportamento do grupo de turistas, sobretudo quando tais atos são praticados por um militar. “Este tipo de atitude é incompatível com a profissão e o decoro da classe, previsto no Regulamento Disciplinar e no Estatuto da PMSC, independentemente de [o militar] estar em período de férias, folga ou qualquer outra situação de afastamento”. Assim que retornar ao trabalho, o tenente deverá responder por sua atitude. Em março, no Dia Internacional da Mulher, Eduardo Nunes trabalhou em um protesto de mulheres feministas contra casos de assédio na Universidade Estadual de Santa Catarina, em Lages.

O engenheiro Luciano Gil Mendes Coelho se apressou em pedir desculpas pelo episódio. "Todos nós somos seres humanos e erramos. Além disso, não conhecíamos ninguém, bebemos um pouco mais da conta e foi isso. Alguém que não conheço filmou. Mas aqui todos estavam brincando e todos entendem a agitação, mas mulheres realmente têm razão em questionar", justifica o engenheiro em entrevista ao G1 Piauí. Luciano Gil já foi preso pela Polícia Federal em 2015, durante a operação “Paradise”. A investigação apurou um esquema de desvio de dinheiro público na Prefeitura de Araripina, que prejudicou a construção creches, escolas e quadras esportivas.

O Ministério do Turismo condenou a atitude dos torcedores. Em nota, afirmou que o machismo e a misoginia não são aceitáveis sob nenhum aspecto, muito menos em um evento como a Copa, realizado para “promover a integração entre povos e culturas do mundo todo”. O ministério informa que nenhum dos homens envolvidos no episódio é servidor da pasta, desmentindo boatos de que um dos agressores seria servidor do órgão federal.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: