Terreno de oito hectares está sendo devolvido a particulares
Terreno de oito hectares está sendo devolvido a particularesFoto: Paullo Allmeida /Folha de Pernambuco

O repasse do Parque Aldeia dos Camarás pela gestão de Camaragibe ao espólio de Torquato de Castro não isentará a prefeitura e o prefeito do município, Demóstenes Meira, de cumprirem os autos de infração lavrados pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH). Em outubro deste ano, o gestor municipal abriu um acesso viário sem licença ambiental em área de preservação permanente (APP) do parque, onde está localizada a nascente do rio Pacas que, junto ao rio Araçá, formam o rio Beberibe. O desmatamento resultou em dois embargos, na apreensão de dois caminhões e dois tratores e em quatro autos de infração contra a prefeitura e dois contra o prefeito.

A população da região ainda teme que o local sofra um desmatamento ainda maior, após a devolução do parque. Os moradores comentam a possibilidade de construção de mais um condomínio de luxo no espaço de oito hectares do terreno. "A família que virou dona do terreno tem um condomínio em Aldeia. Para esse espaço virar outro condomínio, é rapidinho. Perdemos uma área que tinha tudo para se transformar em algo para os moradores se divertirem. Aqui (em Camaragibe) é tudo morto, não tem uma área de lazer sequer", queixou-se Lázaro Pereira, de 52 anos, e morador do local há 45 anos. Um ato público dos moradores está programado para o próximo sábado (8), às 8h, para pedir esclarecimentos à prefeitura sobre o repasse do terreno sem nenhum aviso.

Leia também:
Parque Aldeia dos Camarás, em Camaragibe, vira área privada
Após desmatamento, Camaragibe se propõe a assinar termo de compromisso com a CPRH
Prefeitura de Camaragibe volta a ser autuada por destruir área de preservação


Procurada, a prefeitura de Camaragibe reafirmou que o terreno foi devolvido à família Torquato de Castro "devido a diversas irregularidades contratuais que obrigaram o Executivo a restituir, nesta gestão, a diferença paga em favor do antigo proprietário, no valor de R$ 10.170.000,00". Sobre o cumprimento dos autos de infração da CPRH, a prefeitura não se posicionou.

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: