SES fez um encontro com profissionais de urgência e emergência
SES fez um encontro com profissionais de urgência e emergênciaFoto: Mariana Cauduro/ SES

Em uma semana subiu de dois para seis as mortes suspeitas por arboviroses no Estado, ou seja, alta de 200%. Entre as vítimas está um bebê de quatro meses. Os dados constam na atualização da situação epidemiológica de dengue, zika e chikungunya divulgados, nesta quarta-feira (20), pela Secretaria Estadual de Saúde (SES).

No período de 30 de dezembro de 2018 até 9 de fevereiro de 2019 haviam sido notificados os óbitos de um homem de 46 anos, em Ipojuca, no Grande Recife, e um outro homem de 39 anos, morador de Custódia, no Sertão. Com a atualização da lista agora, com números até o último dia 16, foram incluídos uma mulher de 59 anos, residente de Camaragibe, na RMR; e mais três crianças menores de 15 anos que faleceram nas cidades de Bezerros, Arcoverde e São Benedito do Sul, entre os dias 12 e 13 de fevereiro.

Leia também:
Casos de arboviroses têm alta no Sertão pernambucano
PE: Mais de 70% das cidades têm risco para transmissão elevada de arboviroses

A secretária de Saúde de São Benedito, Cláudia Nery, mostrou-se surpresa com a notificação da morte do bebê de quatro meses uma vez que a cidade, segundo ela, não vem registrando aumento de arboviroses. A gestora comentou que a investigação da causa da morte está em fase inicial por isso não pode dar muitos detalhes.

Em relação ao óbito de um menino de 8 anos em Bezerros, a criança chegou a ter a notificação atribuída a cidade de Jaboatão, onde passou férias com o avô. Mas ao retornar para a cidade natal precisou de socorro médico e faleceu no Hospital Regional do Agreste (HRA). Já o caso de Arcoverde a possível vítima foi um adolescente de 15 anos.

A infectologista pediatra do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC), Regina Coeli, destacou que os pais devem estar atentos a sintomas de alerta nas crianças para evitar diagnósticos tardios e as complicações. “Quem mais conhecem as crianças são os pais, por isso em sinal de irritabilidade, vômito ou moleza eles devem buscar ajuda de um médico e não ficar esperando em casa”, alertou.

Nesta quarta-feira (20), a SES fez um encontro com profissionais de urgência e emergência para tratar do manejo clínico para as doenças. A gerente do Programa de Controle das Arboviroses da SES, Claudenice Pontes, informou que até agora tem se notado a prevalência da circulação do dengue tipo 1 que foi responsável pelas primeiras epidemias no País, que não são conhecidos até o momento novas cepas de chikungunya e zika .

Em 2019, já são mais de dois mil casos de arboviroses registrados em todo o Estado. Com destaque para as notificações na 7ª Regional de Saúde, no Sertão, onde há um aumento de mais de 5000% de dengue, 800% de chikungunya e 400% de zika.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: