Após diálogo com comércio informal, projeto prevê instalação de 50 quiosques para 100 ambulantes
Após diálogo com comércio informal, projeto prevê instalação de 50 quiosques para 100 ambulantesFoto: Guto Moraes / Folha de Pernambuco

Duas das seis etapas que compõem o cronograma de requalificação da avenida Conde da Boa Vista foram concluídas. As obras tiveram início há seis meses, em abril deste ano, e a previsão é de que cheguem ao fim até novembro de 2020. Com o início da terceira etapa, está programada a instalação da primeira das duas estações de BRT que serão mantidas no corredor. No entanto, o principal destaque anunciado é o estudo de um mobiliário para o comércio informal, que deverá ser reordenado ao longo dos 1,7 quilômetros de extensão da via.

O protótipo de quiosque está exposto no início da avenida, próximo à rua da Aurora. O previsto é que sejam instaladas 50 unidades da estrutura para até 100 comerciantes, que terão de dividir o mobiliário. Um cadastro dos profissionais informais foi criado pela Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano. “O equipamento é uma proposta dos ambulantes e faremos uma oficina até a semana que vem, onde serão detalhadas todas as demandas. Não é possível fazer uma obra com essa característica de resgate da via e a Prefeitura não ter um controle rigoroso”, apontou o secretário João Braga.

Inicialmente, apenas 40 ambulantes seriam contemplados pelo projeto, mas, após ações junta a população e negociações da classe, o número foi ampliado para 100. Segundo pesquisa do Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras do Comércio Informal (Sintraci), em parceria com vereador Ivan Moraes, 328 ambulantes trabalham no local. “Fizemos uma pesquisa da movimentação econômica anual do comércio informal e apresentamos os números. Ainda esperamos encontrar uma alternativa para os demais comerciantes”, destacou a diretora do Sintraci, Luciana Mendonça.

Leia também:
Segunda etapa da Conde da Boa Vista agrada, mas não informa
Com aporte de R$ 900 mil, quatro estações de BRT serão requalificadas


BRT
Cinco das seis estações provisórias de BRT da Conde da Boa Vista ainda estão em funcionamento. Em agosto, a estação Soledade II foi desativada após um incêndio com um ônibus da linha Vila da Sudene. Todas serão demolidas até o início da quinta etapa, previsto para maio de 2020. No lugar, passarão a operar apenas dois pontos com extensão para o embarque e desembarque de até dois coletivos. A obra está orçada em R$ 5 milhões de reais. Ainda nesta semana tem início a construção da Estação Hospício, entre a rua de mesmo nome e a Gervásio Pires, que deverá ser finalizada em até 180 dias.

Avanço
De acordo com a Secretaria de Infraestrutura, a previsão inicial era de que a terceira etapa tivesse início apenas em novembro e que foi possível adiantar o cronograma com a realização de ajustes no trânsito durante a primeira e a segunda etapas. “Fizemos um planejamento de toda a obra ao longo do ano e tivemos apoio fundamental da população e dos comerciantes. Contamos com uma equipe bem posta para trabalhar sob os prazos e esperamos que possamos anunciar novas antecipações”, considerou o secretário da pasta, Roberto Gusmão.

Ainda de acordo com secretário, um terço da obra está concluído. Desses, 50% correspondem à ampliação da largura das calçadas, umas das principais apostas do projeto que, desde seu início, pretende “tornar a via muito mais humanizada”. Até o momento, foram acrescidos 530 metros quadrados de passeio, dos 2 mil metros apresentados no panorama geral da nova Conde da Boa Vista. No total, R$ 15 milhões estão sendo investidos no projeto e, segundo Gusmão, é estimado que já foram gastos R$ 3,5 milhões.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: